Barra Cofina

Correio da Manhã

Sociedade
4

Portugal ultrapassa dois milhões de infetados com Covid-19 desde início da pandemia

Valor equivale a cerca de 20% da população.
Lusa 19 de Janeiro de 2022 às 19:17
Coronavírus
Coronavírus FOTO: Ricardo Jr
Portugal ultrapassou esta quarta-feira os dois milhões de pessoas infetadas pelo coronavírus SARS-CoV-2 desde o início da pandemia de covid-19, o que equivale a cerca de 20% da população.

Com os 52.459 casos registados nas últimas 24 horas pela Direção-Geral da Saúde (DGS), o país passou a contabilizar um total de 2.003.169 pessoas infetadas desde que foram confirmados os primeiros casos, em 02 de março de 2020.

Foram precisos cerca de 17 meses para Portugal ultrapassar a marca de um milhão de infetados, o que aconteceu a 14 de agosto de 2021, mas apenas cerca de quatro meses para o país passar de um para dois milhões de pessoas contagiadas.

Desde dezembro, o número de casos de infeção tem vindo aumentar gradualmente, um agravamento da situação pandémica que os especialistas atribuem à maior capacidade de contágio da variante Ómicron, com os mais de 52 mil casos de hoje a constituírem um novo máximo diário desde o início da pandemia.

Nos primeiros 19 dias deste ano, Portugal já registou 12 dias com mais de 30 mil casos diários.

Os dados de hoje da DGS indicam que estão atualmente mais de 356 mil pessoas infetadas com o SARS-CoV-2 e quase 360 mil são contactos em vigilância, o que perfaz um total de cerca de 716 mil pessoas.

Desde o início da pandemia mais de 1,6 milhões de pessoas já recuperam da infeção.

Relativamente aos serviços de saúde, o número de internados por covid-19 aumentou mais de 90% desde 01 de janeiro, passando dos 1.023 para os 1.959 doentes, número que representa um máximo desde 02 de março de 2021, quando estavam nas enfermarias 1.997 pessoas.

Nos primeiros 19 dias do ano, a média de internados nos hospitais de Portugal continental é de 1.516 doentes.

Mais estável tem sido a evolução dos doentes em cuidados intensivos (UCI), com uma média de 156 pessoas internadas nestas unidades no período entre 01 e 19 deste mês, o que representa 61% do limiar definido pelas `linhas vermelhas´ da pandemia como crítico das 255 camas ocupadas.

Apesar do aumento que se verifica na pressão sobre os serviços de saúde, a média 1.516 internados por covid-19 nos primeiros 19 dias deste ano é significativamente inferior à média de 3.880 doentes no mesmo período de 2021.

Nos últimos dias, a incidência de novas infeções tem vindo sempre a aumentar, enquanto o índice de transmissibilidade (Rt) está a descer de uma forma gradual, mas ainda acima do limiar de 1.

De acordo com a DGS, a incidência de infeções com o coronavírus SARS-CoV-2 aumentou hoje para os 4.490,9 casos por 100 mil habitantes em Portugal e o Rt - que estima o número de casos secundários de infeção resultantes de cada pessoa portadora do vírus -- registou uma nova descida para 1,11.

A covid-19 provocou 5.553.124 mortes em todo o mundo desde o início da pandemia, segundo o mais recente balanço da agência France-Presse.

A doença respiratória é provocada pelo coronavírus SARS-CoV-2, detetado no final de 2019 em Wuhan, cidade do centro da China.

Uma nova variante, a Ómicron, classificada como preocupante e muito contagiosa pela Organização Mundial da Saúde (OMS), foi detetada na África Austral e, desde que as autoridades sanitárias sul-africanas deram o alerta em novembro, tornou-se dominante em vários países, incluindo em Portugal.

Ver comentários