Barra Cofina

Correio da Manhã

Sociedade
3

Proteção Civil já registou 391 ocorrências devido à depressão Bárbara

"Não há nenhuma ocorrência associada a feridos ou danos significativos", assegura fonte da ANEPC.
Lusa 19 de Outubro de 2020 às 23:39
Em Sacavém, Loures, houve ruas inundadas e carros danificados
Inundações devido à depressão Bárbara
Em Vila Real, a chuva não deu tréguas, tornando muito difícil a circulação pela cidade
Rua das Pretas, em Lisboa, ao fim da tarde ficou intransitável
Rua das Pretas, em Lisboa, ao fim da tarde ficou intransitável
Em Sacavém, Loures, houve ruas inundadas e carros danificados
Inundações devido à depressão Bárbara
Em Vila Real, a chuva não deu tréguas, tornando muito difícil a circulação pela cidade
Rua das Pretas, em Lisboa, ao fim da tarde ficou intransitável
Rua das Pretas, em Lisboa, ao fim da tarde ficou intransitável
Em Sacavém, Loures, houve ruas inundadas e carros danificados
Inundações devido à depressão Bárbara
Em Vila Real, a chuva não deu tréguas, tornando muito difícil a circulação pela cidade
Rua das Pretas, em Lisboa, ao fim da tarde ficou intransitável
Rua das Pretas, em Lisboa, ao fim da tarde ficou intransitável
A Proteção Civil contabilizou 391 ocorrências em Portugal continental até às 20h00 desta segunda-feira, relacionadas com o mau tempo, m aioritariamente inundações e quedas de árvores e estruturas, mas sem registo de feridos.

Fonte da Autoridade Nacional de Emergência e Proteção Civil (ANEPC) disse à agência Lusa que as 391 ocorrências registadas são, "maioritariamente, inundações quedas de árvores e quedas de estruturas".

Contudo, "não há nenhuma ocorrência associada a feridos ou danos significativos".

O último balanço feito pela ANEPC sobre as ocorrências relacionadas com a passagem da depressão Bárbara dá conta de que Lisboa é o distrito mais afetado pelo mau tempo (com 149 das 391 ocorrências), seguido por Leiria, Guarda, Coimbra, Setúbal e Porto.

Os distritos de Lisboa, Santarém, Setúbal, Portalegre, Castelo Branco, Aveiro, Coimbra e Porto vão ser colocados em estado de alerta especial laranja (o segundo mais grave da escala) a partir das 00:00 de terça-feira por causa da chuva forte e do vento.

No sistema de Proteção Civil, o estado de alerta especial laranja significa que o grau de risco é elevado, sendo expectável uma situação de perigo com condições para a ocorrência de fenómenos invulgares que podem causar danos a pessoas e bens, colocando em causa a sua segurança.

Este estado vai durar até às 23h59 de quarta-feira.

Todo o território nacional está atualmente em estado de alerta amarelo devido ao mau tempo.

Os distritos de Lisboa, Setúbal, Santarém, Portalegre e Castelo Branco vão estar na terça-feira sob aviso meteorológico vermelho, o mais grave, devido à previsão de chuva forte, na sequência da passagem da depressão Bárbara, segundo o Instituto Português do Mar e da Atmosfera (IPMA).

O aviso vermelho, o mais grave de uma escala de quatro vai estar em vigor nos cinco distritos entre as 12h00 e as 18h

00 de terça-feira.

O aviso vermelho corresponde a uma situação meteorológica de risco extremo. Nesta situação, o IPMA recomenda que as pessoas se mantenham ao corrente da evolução das condições meteorológicas e sigam as orientações da proteção civil.

Portugal continental está esta segunda-feira sob o efeito da depressão Bárbara, que dará origem a precipitação forte, aumento da intensidade do vento com rajadas até 100 quilómetros por hora e até 130 quilómetros por hora nas terras altas e agitação marítima, em especial na costa da região sul.

Para esta segunda-feira, o IPMA colocou os distritos de Viana do Castelo, Braga, Porto, Aveiro, Vila Real, Bragança, Aveiro, Coimbra, Guarda, Castelo Branco, Portalegre, Leiria, Santarém, Lisboa e Setúbal sob aviso laranja entre as 18:00 e as 00:00 de terça-feira devido à previsão de chuva forte e persistente e vento forte.

Até às 18h00 desta segunda-feira todos os distritos do continente estavam sob aviso amarelo e a partir desta hora 15 passaram a laranja. Na terça-feira, cinco estão, então, sob aviso vermelho, e os restantes 13 sob aviso laranja por causa da precipitação.

O IPMA colocou também a ilha da Madeira sob aviso amarelo devido à previsão de vento forte de sudoeste com rajadas até 130 quilómetros por hora até às 00:00 de terça-feira, passando depois a laranja até às 18:00.

No arquipélago dos Açores, as ilhas Graciosa, S. Jorge, Faial, Pico e Terceira (grupo Central) vão estar sob aviso amarelo devido à previsão de precipitação forte, podendo ser acompanhada de trovoada entre 00:00 e as 20:00 de terça-feira, assim como as ilhas do Corvo e Flores (grupo Ocidental), por causa do vento forte, até às 00:00 de terça-feira.

Ver comentários