Barra Cofina

Correio da Manhã

Sociedade
2

PSP vai comprar mais máscaras e luvas para proteção do coronavírus

Autoridade tem centenas de agentes a prestar serviço em aeroportos.
Sérgio A. Vitorino 11 de Março de 2020 às 20:00
Máscaras contra o coronavirus
Máscaras contra o coronavirus FOTO: Getty Images

A direção nacional PSP adiantou esta quarta-feira ao CM, após críticas dos sindicatos, ter "disponibilizado a todos os Polícias informação acerca do COVID-19, nomeadamente acerca da forma de disseminação e medidas preventivas a adotar". Assegura que o material de proteção disponível ("luvas descartáveis, máscaras e soluções antissépticas de base alcoólica"), tem-se revelado "globalmente suficiente" e afirma que, "contudo, não existe ainda dotação individual uma vez que a autoridade de saúde não indicou ainda termos chegado a esse nível de risco".

"Apesar de, para já, as medidas de prevenção recomendadas não incluírem a utilização de material individual de proteção, a PSP desencadeou de imediato o processo de distribuição da sua reserva estratégica, nomeadamente no que diz respeito a máscaras e solução antisséptica de base alcoólica, encontrando-se em processo adicional de aquisição", esclarece a direção nacional. "Esse equipamento será usado em situações em que haja sintomas clínicos e epidemiológicos dos Polícias ou de cidadãos que aconselhem o uso desse equipamento", especifica.

Quanto a cuidados internos, a PSP refere que o "plano de contingência global como o específico de cada Comando encontram-se em fase final de elaboração, encontrando-se já definidas as áreas de isolamento, onde possíveis infetados aguardarão a intervenção dos meios de emergência médica".

A PSP tem centenas de agentes a prestar serviço em aeroportos, onde poderão contactar com infetados com COVID-19 e onde de regem "pelo plano de contingência da Polícia de Segurança Pública do qual consta a informação sobre as atitudes preventivas a adotar individualmente em face da forma de disseminação e, complementarmente, pelo plano de contingência aeroportuário, específico para cada infraestrutura aeroportuária, atentas as especificidades próprias". Nos aeroportos internacionais este plano é desenvolvido pela ANA Aeroportos; nas ilhas do Pico, Graciosa, Corvo e S. Jorge o plano é da responsabilidade da SATA Aeroportos e, na ilha Terceira (Aeroporto das Lajes), essa responsabilidade é assumida pelo Governo Regional dos Açores.

"No que concerne à monitorização de passageiros que chegam de países onde existem casos de infeção e ou reação perante qualquer cidadão do qual se suspeite poder encontrar-se contaminado, nomeadamente um passageiro a bordo de uma aeronave, a PSP esclarece que tais funções não são desempenhadas pelos Polícias mas sim pelas equipas médicas, que operam em permanência nos aeroportos internacionais, salvo situações de passageiro desordeiro ou suspeito de crime, cuja intervenção policial estará relacionada com a ordem pública", complementa a PSP.

Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)