Barra Cofina

Correio da Manhã

Sociedade
8

Quase metade da população portuguesa diz que pandemia da Covid-19 teve impacto no seu rendimento

Maioria dos portugueses defende que a União Europeia devia ter mais competências para combater a Covid-19.
Lusa 19 de Novembro de 2020 às 23:25
Dinheiro
Dinheiro FOTO: Getty Images
A maioria dos portugueses (83%) defende que a União Europeia (UE) devia ter mais competências para combater a covid-19 e quase metade (45%) dizem que a pandemia teve impacto no seu rendimento, segundo um inquérito hoje divulgado.

De acordo com um inquérito do Parlamento Europeu (PE), 45% dos portugueses dizem que a crise da covid-19 já teve impacto no seu rendimento individual (UE 39%) e 31% referem esperar que isso aconteça no futuro (UE 27%).

Por outro lado, questionados sobre se consideram que a UE deveria ter mais competências para lidar com crises como a atual pandemia, 83% dos inquiridos em Portugal concordaram, face aos 66% da média da UE.

Três em cada quatro (75%) portugueses dizem-se informados sobre as medidas adotadas pela UE, face à medida europeia de 67% enquanto 61% se manifestam satisfeitos com as ações tomadas por Bruxelas para fazer face à pandemia (UE 46%).

No que respeita ao estado de espírito, a incerteza prevalece para 60% dos inquiridos em Portugal (UE 50%), seguindo-se a esperança (50%, face a 37% de média na UE), frustração (25%, dois pontos abaixo da média) e a confiança (23%, três pontos acima da média da UE).

As entrevistas foram realizadas 'online' entre 28 de setembro e 14 de outubro.

A pandemia de covid-19 provocou mais de 1,3 milhões de mortos resultantes de mais de 56 milhões de casos de infeção em todo o mundo, segundo um balanço feito pela agência francesa AFP.

Em Portugal, morreram 3.701 pessoas dos 243.009 casos de infeção confirmados, de acordo com o boletim mais recente da Direção-Geral da Saúde.

A doença é transmitida por um novo coronavírus detetado no final de dezembro de 2019, em Wuhan, uma cidade do centro da China.

Portugal União Europeia UE demografia questões sociais emigrantes economia negócios e finanças política
Ver comentários