Barra Cofina

Correio da Manhã

Sociedade
5

Santarém recebe novo bispo D. José Traquina

À espera de novo bispo estão as dioceses de Évora, Vila Real, Funchal, Viseu e Porto.
Secundino Cunha 8 de Outubro de 2017 às 06:00
D. José Traquina é desde ontem o novo bispo titular da Diocese de Santarém
D. José Traquina é desde ontem o novo bispo titular da Diocese de Santarém
D. José Traquina é desde ontem o novo bispo titular da Diocese de Santarém
D. José Traquina é desde ontem o novo bispo titular da Diocese de Santarém
D. José Traquina é desde ontem o novo bispo titular da Diocese de Santarém
D. José Traquina é desde ontem o novo bispo titular da Diocese de Santarém
D. José Traquina é desde ontem o novo bispo titular da Diocese de Santarém
D. José Traquina é desde ontem o novo bispo titular da Diocese de Santarém
D. José Traquina é desde ontem o novo bispo titular da Diocese de Santarém
No dia em que aceitou a renúncia de D. Manuel Pelino, que já completou 76 anos, o Papa Francisco nomeou ontem D. José Augusto Traquina Maria para bispo titular da Diocese de Santarém.

Numa nota enviada aos fiéis, o novo bispo refere que a sua missão terá presente a necessária atenção "aos pastores presbíteros, à pastoral vocacional, aos jovens, aos casais novos, às famílias, aos pobres e os que andam mais afastados ou indiferentes, desconhecendo que são muito amados por Deus".
O até agora bispo auxiliar de Lisboa tem 63 anos, ascendeu ao episcopado em 2014 e assumirá a responsabilidade da Diocese de Santarém numa celebração solene a 26 de novembro, festa de Cristo Rei, pelas 16h00, na Igreja de Santa Clara.

Resolvido o caso de Santarém, há ainda cinco nomeações sobre a mesa de trabalho do Núncio Apostólico, Rino Passigato. O Porto, cuja diocese ficou vacante com a morte de D. António Francisco dos Santos, só deve ter novo prelado no início do próximo ano (ver caixa). No entanto, até dezembro podem ser conhecidos os nomes dos novos bispos de Évora, Funchal, Viseu e Vila Real.

No caso de Évora, o arcebispo, D. José Francisco Alves, pediu dispensa em meados de 2016, mas o Papa Francisco solicitou a sua manutenção no cargo por mais um ano, pelo que a substituição deve estar para breve. Em Vila Real, o bispo D. Amândio Tomás aguarda uma resposta de Roma ao pedido de resignação.

Quem acaba de solicitar dispensa ao Papa é D. António José Carrilho, bispo do Funchal, por ter atingido os 75 anos, a idade canónica para a reforma. Situação bem diversa é a de Viseu, uma vez que o bispo, D. Ilídio Leandro, tem apenas 66 anos. Acontece que, há cerca de sete anos, sofreu um AVC e as sequelas têm causado sérias limitações ao prelado. O Papa já aceitou a saída e a substituição deve estar para breve.

D. José Cordeiro é o mais desejado para a Diocese do Porto
A "terna", ou seja, os três nomes para a escolha do novo bispo do Porto serão os de D. José Cordeiro, bispo de Bragança, D. António Couto, bispo de Lamego, e D. Virgílio Antunes, bispo de Coimbra. Sabendo-se da paixão de D. António Couto pela vida académica e do facto de Coimbra ser uma diocese "topo de carreira", a escolha pode cair no mais jovem prelado. E o clero, apurou o CM, deseja que assim seja.

75
anos é a idade indicada pelo Código do Direito Canónico para os homens da Igreja pedirem a dispensa de funções. Por norma e se a saúde o permitir, mantêm-se nos cargos por mais alguns anos.

Portugal tem 45 bispos
O episcopado português é atualmente constituído por 45 bispos. 21 são titulares de dioceses (incluindo as Forças Armadas), 7 são auxiliares (das dioceses de Lisboa, Porto e Braga) e 17 são eméritos. O mais novo é D. José Cordeiro (50 anos) e o mais velho, D. Manuel da Silva Pinto, tem 93 anos.

Administrador apostólico
D. António Bessa Taipa é o atual administrador apostólico do Porto. Este cargo é ocupado em caso de "sé vacante", ou seja, quando morre o bispo titular de uma diocese.
Ver comentários