Barra Cofina

Correio da Manhã

Sociedade
2

Sobe para dez o número de mortos por legionella

Surto de legionella considerado extinto. Teve origem na empresa Adubos de Portugal.
21 de Novembro de 2014 às 10:10
Hospital de Vila Franca de Xira
Hospital de Vila Franca de Xira FOTO: João Relvas/Lusa

O número de mortes confirmadas no surto de legionella de Vila Franca de Xira subiu para dez, avançou esta sexta-feira a Direção-Geral da Saúde. A fonte do surto, que já foi considerado extinto, é uma torre de refrigeração da empresa Adubos de Portugal (ADP) Fertilizantes. 

O diretor geral da saúde revelou esta sexta-feira, no final da última reunião da 'taskforce', que as bactérias encontradas em doentes com legionella são semelhantes às detetadas numa torre de refrigeração da ADP. 

A empresa obteve na quarta-feira autorização da Inspeção Geral do Ambiente para tratar as torres de refrigeração ainda paradas devido ao surto.

Resultados negativos para SCC e Solvay

Já a Sociedade Central de Cervejas e Bebidas (SCC) informou esta sexta-feira que deram negativos os resultados das análises realizadas às torres de refrigeração da empresa, na sequência do surto de legionella.


"Os resultados das nossas análises chegaram ontem à noite [quinta-feira] e são 100% negativos. Enviamos os resultados ao início da manhã de hoje [sexta-feira] para as autoridades a fim de sermos libertados de qualquer condicionamento que existisse nas nossas instalações", adiantou à agência Lusa o responsável da comunicação da SCC.

A Solvay, uma das três empresas de Vila Franca de Xira cujas análises acusaram vestígios de legionella, anunciou esta sexta-feira que a bactéria não foi identificada nos testes realizados por "laboratório independente".


Em comunicado, a Solvay refere que "os resultados finais das análises" a que procedeu "em laboratório microbiológico acreditado, independente e sem conhecimento do nome da entidade à qual as águas pertenciam, acabam de revelar a ausência absoluta de legionela de qualquer estirpe em todas as amostras colhidas" na empresa.

Surto de legionella está extinto

O ministro da Saúde declarou também extinto o surto de legionella, que começou no passado dia 7 e provocou 336 doentes e dez mortos, apesar de ainda poderem ocorrer mais óbitos. Foram registados 336 casos, 140 doentes encontram-se internados. Destes, 38 estão em Cuidados Intensivos, 23 estão a ser ventilados.

A doença do legionário, provocada pela bactéria Legionella pneumophila, contrai-se por inalação de gotículas de vapor de água contaminada (aerossóis) de dimensões tão pequenas que transportam a bactéria para os pulmões, depositando-a nos alvéolos pulmonares.

Crime ambiental

Jorge Moreira da Silva esclareceu que, apesar de se manter o segredo de justiça - que há uma semana foi a razão apontada pelas autoridades para não revelar a origem do surto - os resultados agora disponíveis apresentam dados mais concretos.


"Estamos perante resultados que resultam de análises de cultura e uma coincidência com a estirpe clínica. Só se avança para este tipo de informação para o Ministério Público quando existem dados robustos", disse.


O ministro adiantou ainda que são estes dados que irão, junto do Ministério Público, ajudar no esclarecimento sobre a existência de um "eventual crime ambiental em relação a esta empresa", numa referência à Adubos de Portugal.

Vila Franca de Xira Direção-Geral da Saúde legionella DGS
Ver comentários