Barra Cofina

Correio da Manhã

Sociedade
6

Travão à circulação nas estradas do País até dia 14

‘Páscoa em casa’ não permite viagens entre dois concelhos.
Sérgio A. Vitorino 9 de Abril de 2020 às 01:30
Um condutor nervoso e pouco colaborante, apanhado esta quarta-feira na operação da PSP na Ponte 25 de Abril, passou sobre dois pinos e ao fazer marcha-atrás quase atingiu um polícia. um agente teve de lhe apontar uma taser. Foi identificado. justificou que tinha pressa para ir buscar as filhas porque tem guarda partilhada.
Um condutor nervoso e pouco colaborante, apanhado esta quarta-feira na operação da PSP na Ponte 25 de Abril, passou sobre dois pinos e ao fazer marcha-atrás quase atingiu um polícia. um agente teve de lhe apontar uma taser. Foi identificado. justificou que tinha pressa para ir buscar as filhas porque tem guarda partilhada.
Um condutor nervoso e pouco colaborante, apanhado esta quarta-feira na operação da PSP na Ponte 25 de Abril, passou sobre dois pinos e ao fazer marcha-atrás quase atingiu um polícia. um agente teve de lhe apontar uma taser. Foi identificado. justificou que tinha pressa para ir buscar as filhas porque tem guarda partilhada.
Um condutor nervoso e pouco colaborante, apanhado esta quarta-feira na operação da PSP na Ponte 25 de Abril, passou sobre dois pinos e ao fazer marcha-atrás quase atingiu um polícia. um agente teve de lhe apontar uma taser. Foi identificado. justificou que tinha pressa para ir buscar as filhas porque tem guarda partilhada.
Um condutor nervoso e pouco colaborante, apanhado esta quarta-feira na operação da PSP na Ponte 25 de Abril, passou sobre dois pinos e ao fazer marcha-atrás quase atingiu um polícia. um agente teve de lhe apontar uma taser. Foi identificado. justificou que tinha pressa para ir buscar as filhas porque tem guarda partilhada.
Um condutor nervoso e pouco colaborante, apanhado esta quarta-feira na operação da PSP na Ponte 25 de Abril, passou sobre dois pinos e ao fazer marcha-atrás quase atingiu um polícia. um agente teve de lhe apontar uma taser. Foi identificado. justificou que tinha pressa para ir buscar as filhas porque tem guarda partilhada.
Nome, número do Cartão de Cidadão, morada completa de casa, morada completa do local de emprego, identificação do patrão. Estes dados têm de constar na declaração, assinada pela empresa, a apresentar à PSP, GNR ou polícia municipal por quem tenha de sair do concelho onde vive para trabalhar. A medida, que entrou hoje em vigor, prolonga-se até às 24h00 de segunda-feira (dia 13) e visa pôr um travão à circulação e impedir as viagens de lazer pela Páscoa. Os aeroportos ficam encerrados.

Quem for cuidador informal, por conta própria ou na agricultura, comércio e áreas essenciais (sem teletrabalho possível), deve fazer declaração sob compromisso de honra revelando onde reside e trabalha.

Estão proibidas as viagens entre concelhos até 3ª feira, excetuando quem tem trabalho autorizado (obriga a declaração), pessoal de saúde, proteção civil, polícias e militares. A desobediência ‘vale’ até um ano de prisão ou 120 dias de multa. PSP e GNR vão ter 35 mil elementos na rua, pela primeira vez com postos de comando partilhados. Será a ‘Operação Páscoa em Casa’. Vai haver especial atenção às entradas nas cidades e às autoestradas para Norte, Centro, serra da Estrela e Algarve, terminais rodoviários e ferroviários. Quem ande de transportes públicos entre concelhos tem de ter declaração. A Polícia Marítima fará patrulhas nas praias e orla costeira.

Desde dia 3, PSP e GNR fiscalizaram 87 mil viaturas e 94 mil cidadãos. Foram detidos 50 por desobediência e resistência.
Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)