Barra Cofina

Correio da Manhã

Sociedade
6

Última semana teve maior quebra na variação semanal de casos de Covid-19 desde outubro

Foram registados 27.934 novos casos de infeção de coronavírus, o que representa uma quebra de 6.802 face à semana anterior.
Lusa 5 de Dezembro de 2020 às 17:28
coronavírus, máscaras, luvas, material de proteção
coronavírus, máscaras, luvas, material de proteção FOTO: Reuters
A semana entre os dias 29 de novembro e este sábado registou a maior descida na variação semanal de novos casos de covid-19 desde outubro, segundo indicou o primeiro-ministro, que justificou assim a continuidade das medidas restritivas em vigor.

Na sequência da reunião do Conselho de Ministros, no qual foram definidas as medidas a serem observadas ao abrigo da renovação do estado de emergência, que vigora até às 23h59 de 23 de dezembro e na quadra natalícia, António Costa salientou os "efeitos" das mesmas e que foram explicitadas num gráfico com a evolução do número de novos casos por semana.

Os últimos sete dias traduziram-se em 27.934 novos casos de infeção pelo novo coronavírus, o que representa uma quebra de 6.802 face à semana anterior.

Já esse período, entre 22 e 28 de novembro, assinalara a descida da curva epidemiológica, com um total de 34.736 casos e um recuo de 5.593 contágios em relação à semana antecedente, na qual foi registado o 'pico' de casos dos últimos meses: 40.329.

Paralelamente, o líder do executivo destacou o impacto da imposição do primeiro estado de emergência na atual segunda vaga da pandemia - que se iniciou em 09 de novembro e vigorou até ao dia 23 - na trajetória descendente da curva epidemiológica, uma vez que até essa data todas as semanas tinham uma variação crescente de novos casos em relação aos sete dias precedentes.

O maior aumento semanal de novas infeções ocorreu entre 25 e 31 de outubro, quando se registaram mais 7.116 casos - e um total de 25.170 casos - em relação ao total da semana entre os dias 18 e 24 desse mesmo mês, nos quais foram notificados 18.054 casos, num período em que o país se encontrava sob estado de calamidade.

Quanto ao Rt, o índice de transmissibilidade efetivo, o documento apresentado pelo executivo evidenciou que o número médio de contágios por infetado está agora abaixo de 1, situando-se em 0,96, depois de largas semanas acima de 1. Quando o Rt é superior a 1, significa que há uma tendência para aumento de casos.

Finalmente, o primeiro-ministro indicou que o número de internamentos de doentes com covid-19 no Serviço Nacional de Saúde continua "muito elevado", com 3.229 doentes internados em enfermaria e 517 em unidades de cuidados intensivos, apesar de se verificar já nos últimos dias um abrandamento na admissão de infetados com o SARS-CoV-2 em contexto hospitalar.

Portugal contabiliza pelo menos 4.876 mortos associados à covid-19 em 318.640 casos confirmados de infeção, segundo o último boletim da Direção-Geral da Saúde (DGS).

O país está em estado de emergência desde 09 de novembro e até 08 de dezembro, período durante o qual há recolher obrigatório nos concelhos de risco de contágio mais elevado.

Covid-19 Rt política saúde questões sociais governo (sistema) pandemia infetados coronavírus
Ver comentários