Barra Cofina

Correio da Manhã

Tv Media
6

Carlos Amorim ao Domingo no CM

Carlos de Abreu Amorim, que até agora tem brindado, diariamente, os leitores mais a Norte com os seus comentários no ‘Bilhete Postal’, na última página do CM, será também autor, a partir de amanhã, de uma crónica semanal nas páginas de Política. ‘Heresias’ foi o nome escolhido pelo cronista para o espaço onde todos os domingos fará os seus comentários políticos e sociais.
6 de Outubro de 2007 às 00:00
Carlos de Abreu Amorim
Carlos de Abreu Amorim FOTO: José Rebelo
“É um enorme desafio e uma honra escrever no CM”, revela Carlos de Abreu Amorim ao nosso jornal. E justifica: “O CM é uma pedrada no charco no jornalismo português. Para além de atingir uma faixa de pessoas muito alargada”.
Carlos de Abreu Amorim continuará a escrever diariamente na edição Norte. E, a partir de amanhã, será também autor de uma crónica aos domingos, à qual deu o nome de ‘Heresias’. “Porque em Portugal vive-se do Estado, respira-se o Estado e ser-se liberal é uma heresia”, diz.
O cronista do CM é também autor do blogue colectivo ‘Blasfémias’, como o próprio adianta, “o segundo mais lido do País a seguir ao ‘Abrupto’”. Ideologicamente, Carlos de Abreu Amorim assume-se como um “liberal, mas apartidário”.
Carlos de Abreu Amorim tem 44 anos e é professor de Direito na Escola de Direito da Universidade do Minho. “Fui advogado durante dez anos e depois dediquei-me exclusivamente à carreira académica. Por vocação”, conta.
O professor estudou em várias universidades, mas acabou por se formar na Universidade Lusíada no Porto. Foi aliás na cidade Invicta que nasceu e onde ainda vive, “apesar de trabalhar em Braga”.
Ver comentários