Barra Cofina

Correio da Manhã

Tv Media
1

CM é líder absoluto na imprensa com quota de mercado de 62,3%

Em cada 100 leitores que compram jornais diários generalistas, mais de 62 optam por um exemplar do Correio da Manhã.
Duarte Faria 26 de Fevereiro de 2021 às 20:27
CM é líder na imprensa
CM é líder na imprensa
O ano passado ficou marcado por um agravamento da crise na imprensa nacional, devido à pandemia de Covid-19. De acordo com os dados divulgados esta sexta-feira pela Associação Portuguesa para o Controlo de Tiragem e Circulação (APCT), contabilizados os doze meses de 2020, os principais jornais e revistas de informação portugueses venderam, em média, menos 42 310 exemplares em papel, passando para um total de 200 930. No que diz respeito ao total de vendas em banca dos três diários generalistas - Correio da Manhã, ‘Jornal de Notícias’ e ‘Público’ - a quebra foi de 25 169 exemplares (passou para 91 900).

O CM mantém a liderança, ao vender em banca uma média de 57 257 exemplares por dia, o que representa uma quota de mercado de 62,3% entre a imprensa diária generalista - ou seja, em cada 100 compradores, mais de 62 escolhem o CM. Significa isto que o Correio da Manhã até reforçou a quota em relação aos valores registados em 2019 (mais 0,7 pontos percentuais).

Em 2º lugar na tabela continua o semanário ‘Expresso’, com uma média de 52 913 exemplares por edição, seguido do ‘JN’, com 23 154 (menos 25,4% quando em comparação com o período homólogo). A revista ‘Sábado’ ocupa a 4ª posição, com 18 509 cópias vendidas semanalmente. Logo a seguir surge o ‘Record’, com 18 043 exemplares. A newsmagazine ‘Visão’ ocupa o 6º posto da tabela, com 12 936 exemplares semanais e uma quebra de 17,2% no número de compradores. O jornal ‘Público’ surge logo a seguir, com 11 489 jornais vendidos por dia (menos 17,3%). Em 8º lugar encontra-se o desportivo ‘O Jogo’, com 6629, uma diminuição de 32,9%. De referir ainda o ‘Diário de Notícias’, ainda em versão semanal, que vendeu uma média de 2996 exemplares (menos 20%).

O ‘Nascer do Sol’, ‘Inevitável’ e ‘A Bola’ não são auditados, por opção própria, pela APCT.
Ver comentários