Barra Cofina

Correio da Manhã

Tv Media
8

Correio da Manhã garante liderança nas vendas em banca

Entre janeiro e outubro deste ano, o CM vendeu 80623 exemplares por dia, dominando 62,6% do mercado.
Sónia Dias 28 de Dezembro de 2018 às 01:30
Redação do CM e da CMTV FOTO: Mariline Alves
Entre janeiro e outubro deste ano, o Correio da Manhã voltou a ser o jornal preferido dos portugueses, com um volume de vendas em banca muito superior a todas as outras publicações nacionais.

Segundo os dados esta quinta-feira divulgados pela Associação Portuguesa para o Controlo de Tiragem e Circulação (APCT), nos primeiros dez meses deste ano o CM vendeu uma média de 80 623 exemplares por dia em banca e registou uma quota de mercado de 62,6%. Isto significa que em cada 100 compradores de jornais diários generalistas, perto de 63 escolhem o CM.

No segundo lugar da tabela dos maiores jornais e revistas de informação nacionais continua a estar o ‘Expresso’. O semanário vendeu uma média de 56 797 exemplares, sofrendo uma quebra de 9% face a igual período do ano passado.

O ‘Jornal de Notícias’ mantém-se na terceira posição da tabela, com 34 805 jornais vendidos diariamente, o que significa uma descida de 9,5%. O quarto lugar pertence ao ‘Record’, que vendeu uma média de 29 405 exemplares por dia.

Já a revista ‘Sábado’, que ocupa o quinto lugar, registou vendas médias semanais de 22 030 exemplares. Logo a seguir surge a ‘Visão’, com 18 598 exemplares vendidos.

Com 13 371 exemplares por dia, o ‘Público’ registou uma ligeira queda de 0,3%. No final da tabela encontra-se o desportivo ‘O Jogo’, com uma média de 11 468 vendas em banca.

O ‘Diário de Notícias’, que desde julho passou a adotar o modelo de semanário, vendeu 6159 jornais, registando uma descida de 19%.

Em termos globais, a venda em banca de jornais e revistas de informação nacionais caiu 9% entre janeiro e outubro, o que equivale a uma perda de 25 649 exemplares.

De referir ainda que o diário ‘i’, o semanário ‘Sol’ e o desportivo ‘A Bola’ optaram por não ser auditados pela APCT.
Ver comentários