Barra Cofina

Correio da Manhã

Tv Media
8

CM lidera vendas com quase 62% do mercado

Correio da Manhã é o jornal mais lido pelos portugueses, a larga distância de toda a concorrência.
Duarte Faria 29 de Agosto de 2019 às 01:30
Redação do Correio da Manhã
Redação do Correio da Manhã
Redação do Correio da Manhã
Redação do Correio da Manhã
Redação do Correio da Manhã
Redação do Correio da Manhã

Entre janeiro e junho deste ano, o Correio da Manhã manteve o título de jornal preferido dos portugueses, liderando com uma larga vantagem a lista dos jornais e revistas de informação mais vendidos em banca em Portugal.

Segundo os dados divulgados esta quarta-feira pela Associação Portuguesa para o Controlo de Tiragem e Circulação (APCT), nos primeiros seis meses do ano o Correio da Manhã vendeu uma média de 72 961 exemplares por dia em banca, alcançando uma quota de mercado de 61,8%. Isto significa que em cada 100 pessoas que compram um diário generalista, quase 62 optam por um exemplar do Correio da Manhã.

O semanário ‘Expresso’ continua a ocupar o segundo lugar da tabela dos jornais e revistas de informação portugueses mais vendidos em banca, com uma média de 52 787 exemplares, o que corresponde a uma descida de 7% face ao período homólogo do ano passado. Logo a seguir surge o ‘Jornal de Notícias’, cujas vendas caíram quase 10%, para 31 445 exemplares por dia.

O ‘Record’ continua a ser o desportivo mais vendido e ocupa o quarto lugar na lista, com uma média de 27 578 exemplares. Logo a seguir está a revista ‘Sábado’, com 20 176, seguida da ‘Visão’, que vendeu uma média de 15 830 exemplares.

Com 13 726 jornais vendidos por dia, o ‘Público’ ficou em sétimo lugar, seguido de ‘O Jogo’, que ocupa a última posição, com uma média de 9822 exemplares vendidos em banca.

O ‘Diário de Notícias’, que desde julho do ano passado passou a ser semanário, vendeu 3905 jornais, registando uma forte descida de 36%.

Em termos globais, as vendas de jornais e revistas de informação caíram 6,8%, o que representa menos 17 939 exemplares.

O diário ‘i’, o semanário ‘Sol’ e o jornal desportivo ‘A Bola’ não são auditados, por opção própria, pela Associação para o Controlo de Tiragem e Circulação (APCT).

Ver comentários