Barra Cofina

Correio da Manhã

Tv Media
9

ERC terminou audições sobre mudanças na estrutura acionista da Media Capital

Mário Ferreira comprou em maio 30,22% da Media Capital (TVI), através da Pluris Investments, por 10,5 milhões de euros.
Lusa 13 de Outubro de 2020 às 16:17
Media Capital
Media Capital
A Entidade Reguladora para a Comunicação Social (ERC) confirmou hoje à Lusa "o fim das audições" no âmbito da análise sobre a entrada da Pluris, do empresário Mário Ferreira, na estrutura acionista da Media Capital.

Questionada pela Lusa sobre o tema, fonte oficial disse que a única declaração que poderia ser transmitida de momento "é a confirmação do fim das audições", as quais se tinham iniciado em 09 de setembro.

A Lusa questionou sobre quando é que o regulador, que anunciou que estava a avaliar as mudanças na estrutura acionista em 17 de julho, estimava divulgar as conclusões da sua análise, mas não obteve resposta.

Entretanto, a Comissão do Mercado de Valores Mobiliários (CMVM) divulgou na sexta-feira que considera que há concertação entre a Pluris Investments e a espanhola Prisa na Media Capital, tendo agora o empresário Mário Ferreira 10 dias úteis para responder ao projeto de decisão.

Mário Ferreira comprou em maio 30,22% da Media Capital (TVI), através da Pluris Investments, por 10,5 milhões de euros.

Caso a CMVM mantenha a decisão, o empresário, que é dono da Douro Azul, terá de lançar uma Oferta Pública de Aquisição (OPA) sobre as posições minoritárias e a Cofina poderá revogar a sua.

Agora aguarda-se o resultado da análise do regulador dos media.

De acordo com o divulgado pela ERC em julho, "em análise está a eventual alteração não autorizada de domínio, que envolve responsabilidade contraordenacional e pode dar origem à suspensão de licença ou responsabilidade criminal, tendo em conta o artigo 72.º da Lei da Televisão e dos Serviços Audiovisuais a Pedido", sendo que o regulador prometeu uma "averiguação rigorosa".

"A ERC não deixará de zelar pelo estrito cumprimento da lei e reposição da legalidade caso verifique que a mesma foi violada", garantiu, em 17 de julho, o regulador dos media liderado por Sebastião Póvoas.

Ver comentários