Barra Cofina

Correio da Manhã

Tv Media
5

Julgamento de Supernanny arrasta-se até abril

Agendadas mais duas audiências, para 5 e 9 de abril. Faltam ouvir dez testemunhas.
Sónia Dias 3 de Março de 2018 às 01:30
A Supernanny Teresa Paula Marques à entrada do Tribunal de Oeiras
Teresa Paula Marques
A psicóloga Teresa Paula Marques
Teresa Paula Marques
Psicóloga Teresa Paula Marques é a ‘Supernanny’
Teresa Paula Marques
’Supernanny’ Teresa Paula Marques a chegar ao tribunal
A Supernanny Teresa Paula Marques à entrada do Tribunal de Oeiras
Teresa Paula Marques
A psicóloga Teresa Paula Marques
Teresa Paula Marques
Psicóloga Teresa Paula Marques é a ‘Supernanny’
Teresa Paula Marques
’Supernanny’ Teresa Paula Marques a chegar ao tribunal
A Supernanny Teresa Paula Marques à entrada do Tribunal de Oeiras
Teresa Paula Marques
A psicóloga Teresa Paula Marques
Teresa Paula Marques
Psicóloga Teresa Paula Marques é a ‘Supernanny’
Teresa Paula Marques
’Supernanny’ Teresa Paula Marques a chegar ao tribunal
Ficou esta sexta-feira concluída a audição das testemunhas do Ministério Público (MP), mas ainda falta ouvir outras dez, chamadas pela SIC e pela produtora Warner Bros., réus na ação especial de tutela da personalidade contra o programa ‘Supernanny’. Por este motivo, o Tribunal de Oeiras decidiu agendar mais 2 audiências – para 5 e 9 de abril - para além da terceira que já estava marcada para dia 16 de março.

A primeira testemunha ouvida na segunda sessão do julgamento foi a psicóloga Rute Agulhas, que salientou que as técnicas utilizadas por Teresa Paula Marques em ‘Supernanny’ fazem parte da psicologia comportamental mas foram aplicadas "de forma incorreta". Já Regina Tavares da Silva, do Comité Português da UNICEF, reforçou o apelo ao Estado e media para defenderem o superior interesse das crianças. "Está em causa o seu futuro e, nesse sentido, há que prevenir", disse, acrescentando que "os pais não são donos dos filhos".

Cristina Ponte, professora na Faculdade de Ciências Sociais e Humanas, última testemunha do MP, referiu que o programa "assim como está, não deveria ser emitido". Questionada sobre a liberdade da programação televisiva respondeu que "é importante que seja assegurada", mas "não é absoluta".

PORMENORES
Tribunal nega pedido
O tribunal rejeitou um pedido da produtora Warner Bros. para anexar ao processo outros programas, como ‘Peso Pesado Teen’, concursos de talentos infantis e vídeos do Youtube do humorista António Raminhos.

Escolas pronunciam-se
A pedido da SIC, as escolas das crianças que participaram no primeiro e segundo programas apresentaram depoimentos por escrito. Nenhuma mencionou alterações de comportamento, antes ou depois da emissão do episódio em que participaram.

Supernanny não falou
A psicóloga Teresa Paula Marques, protagonista de ‘Supernanny’, ainda não foi ouvida. O seu depoimento será o primeiro na próxima sessão, dia 16.
Supernanny SIC CNPDPCJ crianças maus-tratos programa polémica família pais educação
Ver comentários