Barra Cofina

Correio da Manhã

Tv Media

Mediapro admite pagamento de subornos para garantir direitos televisivos dos Mundiais de futebol

Grupo audiovisual avança que nesta atuação estiveram implicados três funcionários.
Lusa 18 de Novembro de 2020 às 23:06
Mundial2018 de futebol na Rússia
Mundial2018 de futebol na Rússia FOTO: Getty Images
O grupo audiovisual Mediapro reconheceu que funcionários da Imagina Media Audiovisual AL, empresa de quem possui ações, pagaram subornos milionários a responsáveis da FIFA para obter direitos televisivos nas fases de classificação dos Mundiais de Futebol de 2014, 2018 e 2022.

"A Imagina reconhece a sua responsabilidade, como entidade jurídica, pelo comportamento delituoso dos seus representantes, e que este comportamento delituoso incluiu o pagamento de subornos para a compra de direitos audiovisuais da fase de classificação nas regiões da América Central e Caraíbas [CONCACAF] para os Campeonatos do Mundo de futebol de 2014, 2018 e 2022, transgredindo a legislação dos Estados Unidos", admite a Mediapro em comunicado publicado na sua página na internet.

De acordo com o grupo audiovisual, nesta atuação estiveram implicados três funcionários "dois dos quais se declararam culpados pelo pagamento de numerosos subornos, e o terceiro, um ex-codiretor geral da Imagina, aceitou o pagamento de um suborno de 1,5 milhões de dólares [1,2 milhões de euros] com o objetivo de adquirir os direitos dos encontros para a qualificação e autorizou, dirigiu e facilitou o pagamento de 500.000 dólares [421.000 euros] da referida quantidade total".

Perante esta situação, a Imagina, que assegura ter despedido da empresa estes três executivos em dezembro de 2015, "reafirma que aceita a sua responsabilidade pelos factos detalhados no Acordo de não processamento alcançado com o Departamento de justiça dos Estados Unidos há mais de dois anos, em julho de 2018".

Ver comentários