Barra Cofina

Correio da Manhã

Tv Media
1

Milhão e meio de euros da FPF e UEFA pagam televisão

Canal 11 arranca a 1 de agosto e conta com Iva Domingues, Rita Ferro Rodrigues e Vítor Baía, entre outros.
Paulo Abreu 10 de Julho de 2019 às 01:30
Nuno Santos
Fernando Gomes
Fernando Gomes
Nuno Santos
Fernando Gomes
Fernando Gomes
Nuno Santos
Fernando Gomes
Fernando Gomes
O 11 é apresentado esta quarta-feira por Fernando Gomes, presidente da Federação Portuguesa do Futebol (FPF), e por Nuno Santos, diretor do canal, que arranca oficialmente no dia 1 de agosto, em três operadoras (NOS, MEO e Vodafone).

Para esta temporada 2019/20, segundo o orçamento aprovado pela direção do organismo que tutela a modalidade no País, está previsto um gasto de 1,5 milhões de euros.

"Esse é o nosso orçamento, de facto, e que começou a vigorar a partir de 1 de julho", conta ao CM fonte da FPF, recordando que "a UEFA custeou integralmente o edifício e os equipamentos de estúdio" que permitiram a Nuno Santos e à sua equipa desenvolver a plataforma de conteúdos do 11, que promete transmitir entre 600 e 700 jogos na época que se avizinha.

O financiamento da UEFA foi atribuído no âmbito do programa ‘HatTrick’, desenhado para apoiar projetos de desenvolvimento do futebol levados a cabo pelas federações nacionais. "Gostaram da nossa proposta para desenvolver o futebol e aprovaram-na", explica a mesma fonte.

Hoje, no Parque Eduardo VII, em Lisboa, estarão Rita Ferro Rodrigues, Iva Domingues, Cecília Carmo, Pedro Sousa, Vítor Baía, Nuno Madureira e Andreia Sofia Matos, entre outros rostos conhecidos do canal 11, situado na Cidade do Futebol, junto ao Estádio do Jamor.

O 11 não funcionará apenas na TV. Terá conteúdos para as plataformas digitais Facebook, Whatsapp, Instagram e YouTube.
Ver comentários