Barra Cofina

Correio da Manhã

Tv Media

Ministério da Cultura cancela festival à última hora

TV Fest, que seria emitido na televisão, gerou críticas de artistas por só beneficiar alguns.
Duarte Faria 10 de Abril de 2020 às 09:18
Júlio Isidro
Júlio Isidro FOTO: Liliana Pereira
OMinistério da Cultura cancelou, à última hora, o TV Fest, festival de música que deveria ter começado esta quinta-feira, às 22h00, com transmissão no canal 444 da Meo, Nos e Vodafone e na RTP Play, e que se prolongaria um mês. O festival foi anunciado na 4ª feira e prometia disponibilizar 1 milhão de euros para pagar a artistas e técnicos afetados pela crise.

"Todos os dias haverá quatro novos artistas", referiu Graça Fonseca, ministra da Cultura. Para a inauguração do festival foi convidado o apresentador Júlio Isidro, e os músicos Ricardo Ribeiro, Rita Guerra, Fernando Tordo e Marisa Liz. Estes escolheriam os artistas que atuariam no dia seguinte.

No entanto, os moldes em que o festival foi montado gerou polémica. Uma petição com mais de 20 mil assinaturas pedia o seu cancelamento e apelava "à criação de mecanismos de apoio que não dividam, excluam, e que contemplem todos os potenciais interessados e necessitados". Dezenas de artistas manifestaram-se contra o evento e até Francisco Rodrigues dos Santos, líder do CDS-PP, criticou o "circuito fechado" do TV Fest e considerou a iniciativa "antidemocrática".

Face às críticas, Graça Fonseca refere que vai "repensar como manter o apoio ao setor da música e aos técnicos e dar a possibilidade de as pessoas receberem em sua casa música portuguesa".

Fonte oficial da RTP esclareceu que a TV pública "serviu apenas de facilitador técnico do sinal", recusando responsabilidade na organização do evento.
OMinistério da Cultura Vodafone TV Fest Meo RTP Play Nos Graça Fonseca artes cultura e entretenimento música
Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)