Barra Cofina

Correio da Manhã

Tv Media
1

Ministério Público quer pôr fim a ‘Supernanny’

Justiça analisa todas as “possibilidades legais de intervenção”.
Duarte Faria 25 de Janeiro de 2018 às 09:00
Ministério Público quer pôr fim a ‘Supernanny’
Patrícia Antunes com a filha no programa ‘Supernanny’
A psicóloga Teresa Paula Marques
Psicóloga Teresa Paula Marques é a ‘Supernanny’
Supernanny
Ministério Público quer pôr fim a ‘Supernanny’
Patrícia Antunes com a filha no programa ‘Supernanny’
A psicóloga Teresa Paula Marques
Psicóloga Teresa Paula Marques é a ‘Supernanny’
Supernanny
Ministério Público quer pôr fim a ‘Supernanny’
Patrícia Antunes com a filha no programa ‘Supernanny’
A psicóloga Teresa Paula Marques
Psicóloga Teresa Paula Marques é a ‘Supernanny’
Supernanny
O Ministério Público (MP) quer travar o programa ‘Supernanny’, da SIC. Em cima da mesa, apurou o CM, está a possibilidade de avançar com uma providência cautelar para proibir a sua transmissão durante as próximas semanas.

Fonte oficial disse ao CM que o MP está a "acompanhar a situação e a analisar todas as possibilidades legais de intervenção". Nesse sentido, "está em curso um trabalho de recolha de elementos para decidir os procedimentos a desencadear no âmbito das competências do MP", acrescenta a mesma fonte.

O CM voltou ontem a pedir uma reação à SIC, mas o canal manteve o silêncio.

Recorde-se que, na terça-feira, a Procuradoria-Geral da República (PGR) anunciou a abertura de um inquérito ao primeiro episódio de ‘Supernanny’, depois de a SIC ter ignorado o pedido da Comissão de Proteção de Crianças e Jovens (CPCJ) de Loures de retirar do ar as imagens do capítulo de estreia do formato protagonizado pela psicóloga Teresa Paula Marques. Em causa poderia estar o crime de desobediência.

Entretanto, a chuva de críticas ao formato da SIC não pára. O juiz desembargador Paulo Guerra, especialista na área de proteção da criança, defende que ‘Supernanny’ não tem nada de pedagógico e viola a Convenção dos Direitos da Criança.

Questionado por alunos de uma escola de Loures, Marcelo Rebelo de Sousa revelou já ter visto o programa e ter uma opinião sobre o mesmo, mas recusou pronunciar-se por considerar que "o Presidente da República não deve falar sobre programas de televisão específicos".
Ver comentários