Barra Cofina

Correio da Manhã

Tv Media
2

Precursoras da causa #MeToo juntas em filme sobre escândalo sexual

'Bombshell - O Escândalo', com Charlize Theron, Nicole Kidman e Margot Robbie, estreia esta quinta-feira em Portugal.
Sónia Dias 23 de Janeiro de 2020 às 08:39
Charlize Theron, Nicole Kidman e Margot Robbie no filme
Roger Ailes
Megyn Kelly
Gretchen Carlson
Harvey Weinstein
Charlize Theron, Nicole Kidman e Margot Robbie no filme
Roger Ailes
Megyn Kelly
Gretchen Carlson
Harvey Weinstein
Charlize Theron, Nicole Kidman e Margot Robbie no filme
Roger Ailes
Megyn Kelly
Gretchen Carlson
Harvey Weinstein
"Se queres brincar com os rapazes grandes tens de te deitar com os rapazes grandes", costumava dizer Roger Ailes às jornalistas da estação de notícias norte-americana FOX News, sem deixar dúvidas sobre as suas intenções. Durante duas décadas, o assédio fez parte do dia a dia do canal, até que, em 2016, a ex-pivô Gretchen Carlson moveu-lhe um processo de assédio sexual, meses antes das eleições que deram a vitória a Trump.

O filme de Jay Roach (‘A Campanha’, ‘Trumbo’) não aprofunda as implicações políticas no caso - e é duramente criticado por isso - e prefere centrar-se em três mulheres: Carlson (Nicole Kidman), que diz que foi despedida por rejeitar os avanços de Ailes - ‘És muito sexy mas dás muito trabalho", diz-lhe um John Lithgow quase irreconhecível - Megyn Kelly (Charlize Theron, também ela caracterizada), que decide seguir o exemplo da colega e de outras seis mulheres que denunciaram os avanços do presidente do canal, e a fictícia Kayla Pospisil (Margot Robbie), recém-chegada à estação.

A 21 de julho de 2016, Ailes, que sempre negou todas as acusações, saiu da FOX News com um cheque de 36 milhões de euros e um agradecimento ao seu trabalho, sendo substituído por Rupert Murdoch, presidente da News Corporation. Ailes, que era hemofílico, morreu um ano depois, aos 77 anos.

Desde então, a FOX News foi alvo de processos de assédio, que levaram a despedimentos e muitos milhões de euros em indemnizações. E Harvey Weinstein ainda estava para vir...

Traído pelas suas ‘queridas’
Apesar de Gretchen Carlson ter sido a primeira a acusar Roger Ailes, foi a denúncia de Megyn Kelly, na altura um dos principais rostos da FOX News, que o destruiu. Na altura, a jornalista estava em alta por ter questionado Donald Trump sobre a forma como desrespeitava as mulheres.

Harvey Weinstein responde por vários crimes em tribunal
Em outubro de 2017, o ‘The New York Times’ e a ‘The New Yorker’ noticiaram que mais de uma dúzia de mulheres acusavam o produtor Harvey Weinstein de assédio sexual, abuso sexual ou violação. Depois destas, muitas outras, algumas delas bem conhecidas do público (ver em cima), avançaram com denúncias.

Atualmente, Weinstein, de 67 anos, que se viu obrigado a deixar a sua empresa, The Weinstein Company, está a responder por acusações, como estas, em tribunal. O julgamento é um momento decisivo para o movimento #MeToo, que pretende acabar com este tipo de abuso de poder.

SAIBA MAIS
100 milhões de euros foi quanto a FOX News pagou com o escândalo Roger Ailes, entre despesas judiciais e indemnizações às vítimas.

Óscares
‘Bomshell - O Escândalo’ está nomeado para três Óscares: melhor atriz (Charlize Theron), melhor atriz secundária (Margot Robbie) e melhor caracterização (Kazu Hiro).

Semelhanças
Charlize Theron usou oito peças prostéticas no rosto (nariz, queixo e pálpebras) e lentes de contacto para ficar parecida com Megyn Kelly. Bastou maquilhagem para tornar Nicole Kidman similar a Gretchen Carlson.

Ligações a Trump
As ligações da FOX News, assumidamente conservadora, e Donald Trump não são exploradas no filme. Mas, a certa altura, Rupert Murdoch, dono da empresa, diz que vai ligar ao "amigo Trump".

Jabba the Hutt
Roger Ailes era conhecido nos bastidores da estação de notícias pelos jornalistas como Jabba the Hutt, a criatura alienígena da saga ‘Star Wars’.

Liderança da FOX News
Depois da demissão de Roger Ailes, Rupert Murdoch assumiu temporariamente a presidência da FOX News até ser encontrado um sucessor. Suzanne Scott assumiria o cargo em 2018.

Denúncias: Acusações de assédio sexual contra Harvey Weinstein deram origem ao movimento #MeToo

Ashley Judd é uma figura central no processo que envolve Weinstein. Atriz acusa-o de boicotar a sua carreira depois de o ter rejeitado.

Cara Delevingne, modelo e atriz, diz que também foi assediada por Weinstein. "Convidou-me para ir ao quarto dele", conta.

Angelina Jolie diz que Weinstein lhe fez insinuações sexuais durante uma reunião de trabalho num hotel. Na altura tinha 21 anos.

Léa Seydoux afirma que o produtor saltou para cima dela e tentou beijá-la à força durante uma reunião no seu quarto de hotel.

Mira Sorvino diz que foi violada durante as filmagens de um filme, e que depois foi alvo de chantagem sexual por parte do produtor.

Alissa Milano foi outras das vítimas do poderoso produtor de Hollywood, mas nunca contou o que realmente se passou.

Asia Argento garante que o produtor a obrigou a fazer-lhe sexo oral. Não o denunciou por medo de isso lhe afetar a carreira.

Gwyneth Paltrow conta que foi assediada por Weinstein, o que levou Brad Pitt, seu namorado na altura, a ameaçá-lo de morte.
Ver comentários