Barra Cofina

Correio da Manhã

Tv Media
9

Teia de negócios afasta Nuno Artur Silva da RTP

Denúncias de vários conflitos de interesses foram decisivas para cessação de funções do administrador.
Duarte Faria 26 de Janeiro de 2018 às 08:59
Nuno Artur Silva
Nuno Artur Silva chegou à RTP em fevereiro de 2015, assumindo o cardo de administrador com o pelouro dos conteúdos
Nuno Artur Silva
Gonçalo Reis
Cristina Vaz Tomé é a atual administradora com o pelouro financeiro
RTP
Nuno Artur Silva
Nuno Artur Silva chegou à RTP em fevereiro de 2015, assumindo o cardo de administrador com o pelouro dos conteúdos
Nuno Artur Silva
Gonçalo Reis
Cristina Vaz Tomé é a atual administradora com o pelouro financeiro
RTP
Nuno Artur Silva
Nuno Artur Silva chegou à RTP em fevereiro de 2015, assumindo o cardo de administrador com o pelouro dos conteúdos
Nuno Artur Silva
Gonçalo Reis
Cristina Vaz Tomé é a atual administradora com o pelouro financeiro
RTP
Nuno Artur Silva vai deixar a administração da RTP. O Conselho Geral Independente (CGI), ao qual cabe nomear a nova administração da empresa pública, anunciou a intenção de convidar o atual presidente da RTP, Gonçalo Reis, a apresentar um projeto estratégico para o triénio de 2018-2020, com o objetivo de o reconduzir no cargo. Já os administradores Nuno Artur Silva (com o pelouro dos conteúdos) e Cristina Vaz Tomé (pelouro financeiro) vão cessar funções.

O CM sabe que a intenção inicial do CGI, cujos novos membros foram empossados esta semana, era reconduzir Gonçalo Reis e Nuno Artur Silva, afastando apenas Cristina Vaz Tomé da nova administração.

Mas os acontecimentos das últimas semanas - nomeadamente as notícias sobre os negócios paralelos de Nuno Artur Silva, que motivaram fortes críticas da Comissão de Trabalhadores - precipitaram o afastamento do gestor.

Esta foi, de resto, a justificação dada pelo CGI para esta decisão. Em comunicado, o organismo disse que a continuidade de Artur Silva na RTP "é incompatível com a irresolução do conflito de interesses entre a sua posição na empresa e os seus interesses patrimoniais privados, cuja manutenção não é aceitável".

Contactado pelo CM, Artur Silva não se pronunciou. Gonçalo Reis também remeteu uma reação para mais tarde. 

Os 4 pecados capitais de Nuno Artur Silva   
Produções Fictícias

Durante os três anos em que foi administrador da RTP, Nuno Artur Silva manteve o controlo a 100% da Produções Fictícias (PF) e do Canal Q. Quando tomou posse prometeu vender, mas nunca o concretizou.

O Estado do Sítio

Antes de entrar na empresa pública, Artur Silva detinha 60% da produtora O Estado do Sítio. Os restantes 40% eram de Daniel Deusdado que, dias depois, foi anunciado como diretor de programas da RTP 1.

Séries polémicas

Já este ano, foi revelado que as séries ‘País Irmão’ e ‘Excursões Air Lino’ estiveram sob a alçada da PF (foram a concurso para financiamento do ICA, em 2014), antes de chegarem à antena da RTP.

Caras do Canal Q

Várias caras que estiveram ligadas ao Canal Q passaram pela RTP nos últimos anos, como Daniel Leitão, Joana Marques e Inês Lopes Gonçalves. Guionistas do canal de humor também foram contratados.
Ver comentários