Barra Cofina

Correio da Manhã

Tv Media
1

Uma vida dedicada aos sabores

A televisão e os livros celebrizaram a cozinheira, que deixa uma carreira inteiramente dedicada à culinária.
Eugénia Ribeiro 7 de Janeiro de 2015 às 01:00
Filipa Vacondeus ou a 'senhora dos restinhos', como era tratada por não desperdiçar alimentos
Filipa Vacondeus ou a 'senhora dos restinhos', como era tratada por não desperdiçar alimentos FOTO: Duarte Roriz

A cozinha tem de ser feita com amor. Esse sentimento tem de ser passado para a comida", dizia Filipa Vacondeus ao CM, em abril de 2014, num intervalo das gravações de ‘À Boleia de Filipa’, o seu último programa televisivo (24 Kitchen). Franzina, de cigarro na mão, a cozinheira recuperava de uma pneumonia. Faleceu ontem, aos 81 anos, no Hospital Pulido Valente, onde estava internada desde o Natal.

Filipa Vacondeus apresentou programas de TV, publicou mais de uma dezena de livros, foi colaboradora de jornais e revistas e ainda hoje, na internet, respondia às dúvidas dos cibernautas.

"Durante anos, recebi-a no ‘Praça da Alegria’ para as suas receitas e histórias. A alegria estava garantida", recorda Manuel Luís Goucha. "Foi um dia muito triste para quem ama a gastronomia. Um ícone deixou-nos", diz o chef Rodrigo Menezes. O ator Miguel Dias recorda a "mulher que adorava a vida e amava o que fazia".

Filipa Vacondeus estreou-se na RTP 1, em 1981. Em dezembro de 2013 terminou a presença semanal no ‘Portugal no Coração’. Depois disso, foi convidada em alguns programas da SIC e da TVI. "Quando precisam de alguém lembram-se da Filipa. E sempre que isso acontece lá vou eu", contava Filipa em abril.

Casada com o jornalista José Vacondeus, a cozinheira recordava que entre 1955 e 1961 a cozinha só existia quando "chegava a casa e ia provar a comida, porque o pai tinha "uma boca difícil". Quando a família sofreu um "crash financeiro", começou a trabalhar como hospedeira de bordo da TAP. Mais tarde foi dona de um restaurante, o Cota de Armas, que fechou a seguir ao 25 de Abril. Aí começou a fazer refeições para fora e conheceu Maria Elisa, jornalista na RTP 1, que a desafiou a fazer TV.

O velório de Filipa Vacondeus decorre hoje, a partir das 14h, no Centro Funerário de Santo Condestável, Campo de Ourique. O funeral é amanhã, às 15h00, no Cemitério do Alto de São João.

Filipa Vacondeus entrevista comida óbito