Barra Cofina

Sabia que os chás podem ser tão prejudiciais quanto o café?

Dose diária recomendada não pode ultrapassar os 400 miligramas.
Por Francisca Genésio 24 de Novembro de 2019 às 01:30
Chá
Chávena de café
Chá
Chávena de café
Chá
Chávena de café
À medida que as temperaturas baixam e o inverno se aproxima, as bebidas quentes, como o chá e o café, vão servindo de aconchego, sobretudo ao final do dia. Mas o consumo em excesso destas bebidas, que em alguns casos têm elevadas quantidades de cafeína, pode trazer consequências para a saúde. Em situações mais graves há mesmo o risco de overdose, podendo até levar à morte.

O chá mate, o branco, o verde e o preto são os que têm maior quantidade de cafeína. Uma chávena de chá pode chegar aos 60 miligramas da substância, enquanto um café expresso tem entre 45 e 100 miligramas.

Em Portugal, os especialistas recomendam, no máximo, três cafés por dia. Normalmente, de manhã, ao final de almoço e à noite. Quando assim é, não existe grande perigo para a saúde, uma vez que não é ultrapassada a dose máxima de 400 miligramas de cafeína por dia. No caso das mulheres grávidas, a dose máxima recomendada diminui para metade: 200 miligramas.

Ainda assim, é importante relembrar que a cafeína não está presente apenas no café e no chá. Os refrigerantes, sobretudo os considerados estimulantes, assim como o chocolate, têm também cafeína.

A substância estimula o sistema nervoso central. Na prática, a cafeína faz com que as pessoas fiquem mais ‘acordadas’ e, ao mesmo tempo, mais concentradas para um determinado assunto.

A sensibilidade das pessoas para a substância pode ser diferente. O peso, assim como medicação que o consumidor tome, são características que influenciam. A cafeína, quando consumida de manhã, pode estimular contrações no intestino, desencadeando uma necessidade urgente de ir à casa de banho.
Relacionadas
Notícias Recomendadas
Família

Histórias de infidelidade em tempos de Covid-19

Na vida em casal, a convivência permanente pode ocasionar uma série de intempéries, à partida nada que não se resolva ou assim garantem os especialistas. O problema é quando o tal infortúnio veste o nome de infidelidade. Como lidar como uma traição que tem de ser gerida entre as quatro paredes de uma casa, e sem qualquer tipo de escape?

Menopausa

Fátima Lopes: “Cabe a nós mulheres, falarmos com orgulho da menopausa”

“Estou com a menopausa, e agora?”. De acordo com especialistas, esta é a questão que mais mulheres levantam quando se deparam com aquela nova fase das suas vidas. Em Mulheres sem Pausa, conversa-se acerca da Menopausa de forma descomprometida, sem receios ou preconceitos. Tal como deve ser.