Barra Cofina

"Substâncias são reconhecidamente carcinogénicas": Incensos e velas provocam cancro

Deco analisou produtos e fala em resultados “assustadores”.
Por Bernardo Esteves 24 de Janeiro de 2020 às 01:30
Produtos testados contêm substâncias “reconhecidamente carcinogénicas”
Produtos testados contêm substâncias “reconhecidamente carcinogénicas” FOTO: iStockphoto
A Associação Portuguesa para a Defesa do Consumidor (Deco) analisou diversos incensos e velas aromáticas disponíveis no mercado e todos chumbaram na avaliação devido à presença de contaminantes químicos. A Deco pediu à Associação de Segurança Alimentar e Económica (ASAE) para retirar do mercado todos os produtos testados e informou a Direção-Geral da Saúde sobre a situação.

"São uma mescla de substâncias irritantes para olhos, nariz e vias respiratórias; algumas são reconhecidamente carcinogénicas e outras, pelo menos, suspeitas", explicou a Deco, que detetou "substâncias altamente perigosas" como "acetaldeído, acetona, acroleína, benzeno, etilbenzeno, formaldeído, monóxido de carbono, naftaleno e outros compostos orgânicos voláteis".

Em comparação com análises realizadas há sete anos aos incensos e velas, a Deco garante que os resultados "continuam a ser assustadores". Segundo a associação, os grupos parlamentares foram avisados há sete anos para o problema, mas ainda não criaram legislação sobre os valores máximos permitidos, que já foram fixados pela Comissão Internacional de Normalização.

A Deco aponta ainda a rotulagem enganosa, com palavras como "natural" e "purificante", e sublinha que são "produtos comprovadamente perigosos".
Notícias Recomendadas