Barra Cofina

Lombalgias: Descubra como alcançar a recuperação sem dores

Dificuldades afetam pessoas de qualquer idade ou ocupação. Cirurgia promete tirar a dor.
Por Vanessa Fidalgo 11 de Janeiro de 2020 às 01:30
As dores de coluna têm uma elevada tendência para se tornarem crónicas.
As dores de coluna têm uma elevada tendência para se tornarem crónicas. FOTO: Getty Images
Muitas dores nas costas só desaparecem na mesa de operações. Felizmente, com os avanços da ciência e o recurso a técnicas minimamente invasivas, é possível "operar, por exemplo, uma hérnia discal e dar alta ao doente no mesmo dia e permitir uma recuperação sem dores", garantiu ao CM o ortopedista Luís Teixeira, diretor do Spine Center, em Coimbra, e o primeiro cirurgião em Portugal a realizar uma cirurgia por neuronavegação, em 2013.

A neuronavegação permite conhecer com rigor máximo a localização da lesão, sob a qual tem uma visão direta durante a cirurgia, o que garante maior segurança ao paciente. "Mesmo em profissões de esforço, os resultados são surpreendentes. Temos operado desportistas de alta competição, que rapidamente regressam aos treinos e às provas. Hoje é possível dar melhor qualidade de vida, diminuindo a sua dor e a incapacidade funcional", frisa.

Os resultados fazem com que a unidade seja procurada não só por doentes, mas também por médicos que ali procuram formação. O médico garante que o "futuro passará pela cirurgia robótica", área que está a dar os primeiros passos no campo da cirurgia da coluna vertebral.

"Cirurgia foi a melhor opção que podia ter feito"
Há três anos, Ana Abreu, 48 anos, acordou com dores nas costas. "Primeiro, achei que era uma contratura ou um mau jeito. Tentei tratar analgésicos, fiz um Raio-X que não acusou nada, mas a dor foi-se intensificando", recorda.

Até que ouviu falar de Luís Teixeira e marcou consulta. O especialista pediu-lhe uma ressonância que demonstrou que já quase não tinha espaço entre a L5 e S1. A única solução era a operação. "Quinze dias depois já estava a trabalhar, um mês depois já guiava, três meses já fazia exercício físico. Hoje, sinto que ter feito a cirurgia foi a melhor opção que podia ter feito", contou ao CM

Luís Teixeira, Diretor Clínico do Spine Center
"Segurança aumentou muito"
CM: Que tipo de dor ou patologia exige cirurgia?
- Mais do que a patologia, a decisão é baseada em critérios: dores violentas, dores que não cedem à medicação, incapacidade funcional acentuada ou alterações neurológicas como perda de força muscular ou alteração da sensibilidade .
– As cirurgias à coluna são hoje menos perigosas?
– Sem dúvida. A introdução de novas técnicas permitiu minimizar o risco de lesões neurológicas, tornando a cirurgia mais segura, menos dolorosa e uma recuperação mais rápida.
Relacionadas
Notícias Recomendadas
Coronavírus

Mutações podem tornar a Covid-19 mais perigosa?

O novo coronavírus está a mudar em todo o mundo, Portugal incluído. E a mudança de material genético não é necessariamente má: ajuda a conhecer de onde veio o vírus, para onde vai, com que rapidez muda e se está a mudar para melhor, ou pior.