Barra Cofina

Artrose é uma doença degenerativa que só se manifesta a partir dos 50 anos. Saiba quais são os fatores de risco

Pegar em pesos e profissões que impliquem movimentos repetitivos predispõem à doença.
Por Vanessa Fidalgo 22 de Fevereiro de 2020 às 01:30
Artrose
Artrose FOTO: Getty Images
A artrose é uma doença degenerativa em que existe "uma destruição progressiva da cartilagem e do osso subcondral, ou seja, o osso que se encontra por baixo da cartilagem", explica o reumatologista Fernando Pimentel Santos.

Consequentemente, diminui o espaço entre as superfícies articulares e dá-se uma nova formação óssea - os chamados ‘bicos de papagaio’.

Em rigor, não se conhece a causa da artrose mas especula-se que existam determinantes genéticas e ambientais. "Dentro dos fatores ambientais o excesso de peso e as atividades associadas a movimentos repetidos que condicionam microtraumatismos parecem ter influência na sua progressão", refere o especialista e professor da Faculdade de Ciências Médicas da Universidade Nova de Lisboa.

As primeiras alterações na estrutura da cartilagem iniciam-se, em regra, após os 30 anos. Mas os sintomas só tendem a aparecer de forma progressiva, após a 5ª ou 6ª década de vida. "As principais articulações envolvidas são as grandes articulações dos membros inferiores (joelhos e ancas), as pequenas articulações das mãos e pés (nos nós dos dedos) e nas porções inferiores da coluna cervical e lombar".

As pessoas que têm história familiar de artrose têm maior predisposição para vir a sofrer da doença. Outras pessoas em risco são os trabalhadores manuais sujeitos a mais cargas e a movimentos repetidos, que acabam por desgastar a cartilagem.

SINTOMAS
Dor
A dor local é o sintoma dominante. Tende a acentuar-se com a utilização das articulações e a aliviar com o repouso.

Rigidez
Pode aparecer ao acordar ou após períodos de repouso. "É o chamado ‘gelling’: a pessoa sente como se as articulações não estivessem lubrificadas e essa sensação passa rapidamente com os movimentos", afirma Fernando Pimentel.

Derrame
Em casos mais graves, em certos pacientes pode surgir um derrame articular que motiva o inchaço dessa articulação.

Próteses
A artrose poderá ser incapacitante e exige, em situações extremas, a colocação de próteses. São particularmente comuns a colocação de próteses no joelho ou na anca.

Doentes reumáticos
Doentes reumáticos têm muitas vezes associado o aparecimento precoce da artrose.

PREVENÇÃO
Conduta defensiva
Não existem atualmente medidas farmacológicas ou não farmacológicas que permitam fazer a prevenção da artrose. A conduta defensiva é a melhor forma de retardar o aparecimento do problema: evite sobrecargas de peso e atividades que desgastem as articulações.

Risco profissional
Algumas profissões predispõem para o aparecimento da artrose: os futebolistas têm mais artroses dos joelhos (gonartroses), as bailarinas, nos tornozelos, os operários da construção civil que manejam martelos pneumáticos, nos cotovelos, e os estivadores, mais artroses da coluna.

COMO SE TRATA
O tratamento passa pelo controlo dos sintomas através do uso de medicamentos analgésicos e anti-inflamatórios. "Usam-se também alguns compostos para atrasar a progressão da doença como a glicosamina, condroitina e diacereína. Pode-se ainda propor, de acordo com a situação clínica, terapêuticas intra-articulares (derivados do ácido hialurónico, corticoides, etc.). O recurso a infiltrações periarticulares pode também exercer um efeito benéfico no tratamento destes doentes", afirma o reumatologista Fernando Pimentel Santos.
Relacionadas
Notícias Recomendadas
Ciência

O que faz o novo coronavírus dentro do nosso corpo?

Já sabemos quais são os sintomas da Covid-19 - febre, tosse e dificuldade em respirar. Mas como é que estes são provocados? E como entra o vírus dentro do organismo? A "raptar" as nossas próprias células.

Bem Estar e Nutrição

Quanto tempo sem sexo é muito tempo?

Ter uma vida sexual constantemente ativa é um privilégio de um número raro de pessoas. O resto dos mortais oscila entre períodos de sexo frequente e épocas sem nada, independentemente de terem ou não um parceiro.