Barra Cofina

Candidíase: o que é, quais os sintomas e como prevenir

Infeção vaginal causa prurido e irritação. Pode também originar uma secreção espessa e inodora e causar dor.
Por Francisca Genésio 10 de Março de 2020 às 01:30
Infeção causada pelo candida surge quando existe um desequilíbrio do pH da mucosa vaginal
Infeção causada pelo candida surge quando existe um desequilíbrio do pH da mucosa vaginal FOTO: Getty Images
A candidíase é uma infeção causada por um fungo: candida. A versão mais habitual é o candida albicans. O candida está normalmente presente na pele e nos intestinos, podendo, no entanto, propagar-se para os órgãos genitais. Aliás, a versão mais conhecida da infeção é candidíase genital.

Está geralmente presente no organismo de todas as mulheres, ainda que em pequenas quantidades, de forma a garantir que a flora vaginal é saudável.

A infeção surge quando existe um desequilíbrio do pH da mucosa vaginal. Ou seja, quando existe um ambiente favorável à multiplicação de fungos. O desequilíbrio pode dever-se a diversos fatores, entre eles os especialistas destacam o uso de antibióticos, diabetes, uso de pílula, pós-menopausa, assim como a gravidez.

As infeções tanto podem ser superficiais, afetando a pele e as mucosas, como mais invasivas, originando outras doenças. A forma mais severa da infeção atinge sobretudo doentes com baixa imunidade. No caso da infeção genital, esta tanto pode manifestar-se nas mulheres como nos homens, sendo mais comum no género feminino.

Na prática, a infeção causada por este fungo provoca prurido ou irritação na vagina e na vulva. Em alguns casos, em resultado da candidíase, pode ocorrer uma secreção espessa e inodora. Devido à irritação, o órgão pode ficar vermelho e a parede vaginal ficar coberta com uma substância pastosa branca. As relações sexuais podem tornar-se dolorosas.

SINTOMAS
Lábios vaginais
O sintoma mais comum da candidíase vaginal é a comichão nos lábios vaginais, que pode agravar-se durante a noite.

Dor ou ardor ao urinar
Dor ou ardor ao urinar e durante as relações sexuais são também sinais de que poderá existir uma infeção.

Corrimento vaginal
Corrimento vaginal anormal, maior quantidade, mais espesso e granuloso de cor branca é também um sintoma.

Erupções cutâneas
Em casos mais graves, a candidíase pode manifestar-se através de erupções cutâneas que causam prurido, com formação de vesículas. Quando as vesículas infetam, podem conter no interior líquido amarelado.

Sinais nos homens
Os homens não apresentam habitualmente sintomas, mas a extremidade do pénis e o prepúcio podem apresentar sintomas irritativos e dolorosos, sobretudo depois das relações sexuais.

Pacientes sem sintomas
Há pacientes que não apresentam muitos sintomas. O diagnóstico nestes casos é difícil por não se tratar de uma doença sexualmente transmissível.

PREVENÇÃO
Roupa íntima de algodão
Utilizar roupa íntima de algodão, evitar vestuário muito apertado e produtos femininos perfumados, como gel de banho, tampões ou pensos higiénicos ajuda a prevenir.

Higiene íntima

Optar por não tomar banhos muito quentes e preferir um produto hipoalergénico específico para fazer a higiene íntima.

Evitar vestuário molhado
Evitar permanecer com roupa molhada, como fatos de banho ou biquínis, por longos períodos de tempo. Garantir que a roupa interior está seca.

Detergentes perfumados
Os detergentes perfumados para a lavagem do vestuário são desaconselhados pelos especialistas, assim como a toma de antibióticos quando não prescritos pelo médico.

COMO SE TRATA
O tratamento para a candidíase pode ser feito localmente, ou seja, através de comprimidos vaginais ou cremes, ou então por via oral.

Segundo os especialistas, estas terapêuticas reduzem normalmente a sintomatologia entre 80 a 90% dos casos. Há, no entanto, casos em que o desequilíbrio da flora vaginal leva a que a candidíase seja recorrente, o que obriga a um tratamento mais prolongado.

Há também soluções naturais que podem ajudar a aliviar os sintomas. A camomila, por exemplo, é conhecida pela propriedade anestésica.

ALIMENTAÇÃO
Hidratos de carbono potenciam
O fungo precisa de um ambiente húmido e ácido para se reproduzir. Quer isto dizer que alimentos ricos em hidratos de carbono e gorduras contribuem para essa mesma acidez. As bebidas alcoólicas também influenciam.
Relacionadas
Notícias Recomendadas
Família

"A coparentalidade pode ser saudável"

“Divórcio Positivo” é o primeiro livro de Marta Moncacha, que também é mãe, divorciada e filha de pais divorciados. Entretanto, tornou-se especialista em separações e coparentalidade.