Barra Cofina

Correio da Manhã

Boa Vida
3

A Serrana e cultural Seia

Cidade é porta de entrada para a Serra da Estrela.
Alexandre Salgueiro 15 de Fevereiro de 2018 às 09:30
Vista panorâmica da cidade de seia, localizada no sopé da serra da Estrela
Museu do pão é dos locais mais visitados do interior do país
Museu da eletricidade é outro ponto de interesse para visitar em Seia
Queijo Serra da Estrela
Cão raça Serra da Estrela
Museu do brinquedo
Imagem da Igreja Matriz
Centro de interpretação da Serra da Estrela
Vista panorâmica da cidade de seia, localizada no sopé da serra da Estrela
Museu do pão é dos locais mais visitados do interior do país
Museu da eletricidade é outro ponto de interesse para visitar em Seia
Queijo Serra da Estrela
Cão raça Serra da Estrela
Museu do brinquedo
Imagem da Igreja Matriz
Centro de interpretação da Serra da Estrela
Vista panorâmica da cidade de seia, localizada no sopé da serra da Estrela
Museu do pão é dos locais mais visitados do interior do país
Museu da eletricidade é outro ponto de interesse para visitar em Seia
Queijo Serra da Estrela
Cão raça Serra da Estrela
Museu do brinquedo
Imagem da Igreja Matriz
Centro de interpretação da Serra da Estrela
Situada na vertente sudoeste da Serra da Estrela, Seia é uma das principais portas de entrada para as centenas de milhares de turistas que todos os anos visitam a maior montanha portuguesa. Mas há muito mais do que neve e serra para ver e experimentar na segunda maior cidade do distrito da Guarda.

Dona de um património religioso e arquitetónico vasto, dos quais se destacam a Igreja Matriz, a Igreja da Misericórdia e a Capela de S. Pedro, cuja origem remonta ao séc. XI, para além de várias casas senhoriais, Seia é um passeio pela própria história do País. Foi nesta cidade que, a 25 de setembro de 1910, presidido pelo ‘filho da terra’ Afonso Costa, se realizou o último comício republicano antes da Implantação da República.

Mas a importância estratégica e económica da localidade remonta a tempos pré-romanos. Seia foi terra de lusitanos, fortificada por romanos e disputada por visigodos e muçulmanos até à Reconquista e formação da nacionalidade. O primeiro foral da povoação terá sido lavrado pelo punho do próprio Afonso Henriques.
Ao longo dos anos, a cidade cresceu, desenvolveu-se e diversificou a sua oferta. A proximidade à serra favoreceu a evolução da industria têxtil, dos queijos e dos enchidos que ainda hoje fazem as delícias dos patronos de quase todos os restaurantes da região.

A distribuição de energia elétrica teve também um papel importante no crescimento de Seia, que fez renascer a antiga Central da Senhora do Desterro como Museu Natural da Eletricidade. E por falar em museus, vale a pena visitar o do Pão – que permite uma abordagem deste alimento nas suas vertentes etnográfica, política, social, histórica, religiosa e artística –, ou o do Brinquedo, onde podem ser vistos mais de oito mil exemplares de todo o Mundo.

O Centro de Interpretação da Serra da Estrela, que visa o desenvolvimento de atividades de educação ambiental e de valorização do património ambiental da montanha é outro ponto de paragem obrigatório para os visitantes.
E para quem prefere atividades ao ar livre, pode sempre escolher uma das 14 rotas pedestres ao longo das terras chãs e das encostas, ou aventurar-se pelos 150 quilómetros de trilhos cicláveis, um dos quais une o Centro de BTT de Seia ao de Manteigas, passando por várias aldeias de montanha.

Uma terra de pastores e do queijo serra da Estrela
O concelho de Seia ainda tem no ativo muitos pastores e produtores do genuíno Queijo serra da Estrela. Nesta altura do ano realiza-se a feira das atividades económicas em que reina este produto endógeno da zona montanhosa mais alta do País. 
Seia Serrana cultural Serra da Estrela cidade
Ver comentários