Barra Cofina

Correio da Manhã

Boa Vida
5

Bona: Sinfonia de Natal na cidade que viu nascer Beethoven

Mercados tradicionais da quadra dão cor ao centro histórico imaculado da antiga capital da Alemanha.
Alfredo Leite(alfredoleite@cmjornal.pt) 14 de Dezembro de 2018 às 12:00
Sinfonia de Natal na cidade que viu nascer Beethoven
O Reno domina a paisagem e as suas margens são procuradas todos os dias
Em dezembro os mercados de Natal invadem o centro de Bona
Casa onde nasceu Beethoven é museu e principal atração
Sinfonia de Natal na cidade que viu nascer Beethoven
O Reno domina a paisagem e as suas margens são procuradas todos os dias
Em dezembro os mercados de Natal invadem o centro de Bona
Casa onde nasceu Beethoven é museu e principal atração
Sinfonia de Natal na cidade que viu nascer Beethoven
O Reno domina a paisagem e as suas margens são procuradas todos os dias
Em dezembro os mercados de Natal invadem o centro de Bona
Casa onde nasceu Beethoven é museu e principal atração
A antiga capital da extinta república federal alemã perdeu muita da sua influência política para Berlim, mas manteve inalterado o charme e a imponência sóbria.

Bona alberga ainda hoje relevantes serviços públicos, como os correios ou as áreas de rádio e online da Deutsche Wella e importantes serviços da ONU. Não são estas instituições, contudo, que atraem os turistas.

Bona é a terra natal de Ludwing van Beethoven e é a casa onde nasceu o compositor, agora transformada em museu, que mais atrai os visitantes.

A catedral, começada a construir no séc. XI, a antiga câmara, a imponente universidade ou o castelo de Godesburgo completam a oferta de uma cidade que, por esta altura, se engalana com com mágicos mercados de Natal. 

Uma cidade que vive na sombra de Colónia
Mesmo durante o tempo em que Bona era capital alemã, a sombra da vizinha cidade de Colónia foi sempre demasiado densa. Maior cidade do estado da Renânia do Norte – Vestefália, Colónia impôs-se sempre como capital regional, atirando para segundo plano Bona, localizada a 30 quilómetros.

Esta proximidade permite ao visitante de Bona deslocar-se a Colónia através da excelente e barata rede de comboios e autocarros para apreciar, por exemplo, a catedral gótica. Além deste maravilhoso templo, Colónia exibe ainda 30 museus. 

Beethoven digital
Foi na rua bONNgass, mesmo no centro histórico de Bona, que nasceu Ludwing van Beethoven, em 1770. A casa, das poucas que resistiram à erosão do tempo e das guerras, é um dos pontos de referência da cidade.

Aqui repousa a maior coleção de material relacionado com a vida e a obra do compositor, desde o último piano aos objetos pessoais de Beethoven passando pelos seus móveis que usou.

A casa não vive apenas do passado. Num espaço contíguo ao imóvel principal está instalada a área digital, onde as crianças são atraídas para um espaço interativo criado para tornar mais compreensível a obra musical do cidadão mais famoso de Bona. 

ONDE COMER E O QUE FAZER 
O mais antigo É o mais antigo restaurante de Bona, onde Beethoven bebia cerveja. O Em Hoettche serve excelentes clássicos alemães. 

O mais apreciado A cervejaria Gasthaus é um lugar incontornável de Bona. Salsichas, sopa borsch e cerveja preta servem de amostra no menu. 

Coração verde Há um parque junto ao Reno que atrai centenas de pessoas. No Rheinaue pratica-se desporto ou respira-se simplesmente ar puro. 

FICHA DE VIAGEM 
Como ir
A ligação direta de Lisboa ao aeroporto de Colónia/Bona (ida e volta) pela companhia alemã GermanWings custa cerca de 100 euros no início de janeiro. A partir do Porto, também sem escalas, o voo custa à volta de 50 euros pela Ryanair.

Onde dormir
A estadia no extraordinário Kameha Bonn, na margem do Reno, custa 100 euros/noite.
Ver comentários