Barra Cofina

Correio da Manhã

Boa Vida
6

Embarque numa viagem ao centro da Terra

Descemos a oito grutas em Portugal que valem mesmo a pena conhecer.
Gonçalo Silva, Paulo Fonte(paulofonte@cmjornal.pt) e Pedro Galego 19 de Novembro de 2018 às 18:23
Embarque numa viagem ao centro da Terra
Espaço encantado de galerias e lagos
Grutas de Mira de Aire
Algar do Carvão
Descoberta de um pouco da história dos Açores
Beleza natural de 350 metros
Embarque numa viagem ao centro da Terra
Espaço encantado de galerias e lagos
Grutas de Mira de Aire
Algar do Carvão
Descoberta de um pouco da história dos Açores
Beleza natural de 350 metros
Embarque numa viagem ao centro da Terra
Espaço encantado de galerias e lagos
Grutas de Mira de Aire
Algar do Carvão
Descoberta de um pouco da história dos Açores
Beleza natural de 350 metros
Esta é uma viagem a obras de arte da natureza repletas de histórias. Muito mais do que simples ‘buracos no chão’, uma visita às grutas, formações labirínticas de rara beleza, equivale a desvendar os mistérios do mundo subterrâneo.

São Vicente
Um espetáculo deslumbrante
Inauguradas a 1 de outubro de 1996, as Grutas de São Vicente, na Madeira, são as primeiras de génese vulcânica abertas ao público em Portugal. Formadas há 890 mil anos no Paul da Serra, foram divulgadas pela primeira vez em 1885.

Mereceram um estudo por parte do naturalista inglês James Yate Johnson. As suas três galerias proporcionam uma visita com cerca de 30 minutos de duração. Lagos de água transparente e algumas câmaras mais vastas permitem associar as grutas à convulsão vulcânica da qual nasceu a Madeira. 

Local: Sítio do Pé do Passo, São Vicente, Madeira
Horário: Todos os dias, das 10h00 às 18h00
Preço: Adultos, 8 euros; crianças 5-14 anos e maiores de 65 anos, 6 euros
Contacto: 291 842 404

Alvados
Espaço encantado de galerias e lagos
As Grutas de Alvados, no concelho de Porto de Mós, são constituídas por duas partes, denominadas por ‘gruta velha’ e ‘gruta nova’. A ‘gruta velha’ é conhecida há cerca de 400 anos e era frequentemente utilizada pelos pastores locais, que aí se abrigavam das intempéries.

A ‘gruta nova’, que constitui as Grutas de Alvados propriamente ditas, foram descobertas em 1964 por um grupo de trabalhadores das pedreiras da serra dos Candeeiros. Deslumbrados com o que encontraram, rapidamente se espalhou a notícia da descoberta. Abertas ao público, a sua apresentação, mais natural e harmoniosa, mostra galerias ricas e belos lagos naturais. 

Local: Alvados, Porto de Mós
Horário: Todos os dias - inverno: 10h00-17h00; verão: 10h00-18h30
Preços: Adulto, 6 euros; criança, 3,80 euros
Contacto: 249 841 876

Mira de Aire
As maiores do País
São as maiores grutas turísticas de Portugal, tendo aberto ao público 600 metros dos 11 quilómetros que as compõem. Inauguradas em 1974, as Grutas de Mira de Aire já receberam mais de seis milhões de visitantes e foram eleitas uma das ‘7 Maravilhas Naturais de Portugal’.

Foi em 1947 que, pela primeira vez, alguns homens tentaram explorar a gruta. Lançando cordas, desceram até uma pequena galeria, onde encontraram uma janela aberta sobre um precipício. O jogo de luzes e beleza natural são atrativos para quem visita. 

Local: Av. Dr. Luciano Justo Ramos, 470, Mira de Aire, Porto de Mós
Horário: Todos os dias - inverno: 09h30-17h30 ; verão: 09h30-20h00
Preços: Até 5 anos, grátis; Crianças, 4 euros; Idade superior a 12 anos, 6,80 euros
Contacto: 244 440 322

Algar do Carvão
Nas profundezas
Este é um verdadeiro mergulho nas profundezas da terra. Na ilha Terceira, a seis quilómetros da Gruta do Natal, fica o Algar do Carvão, um destino que oferece uma experiência para todos aqueles que descem rumo ao desconhecido. O cone vulcânico que alberga o algar - poço ou abismo natural - dista cerca de 12 quilómetros da cidade de Angra do Heroísmo.

O primeiro relato de uma descida data de 26 de janeiro de 1893, com a utilização de uma corda. Em 1934 foi elaborado o primeiro perfil do Algar e na década de 60, em 1963, tiveram início as descidas organizadas. 

Local: Porto Judeu, Angra do Heroísmo, Terceira, Açores
Horário: Até março de 2019, terças, quartas, sextas e sábados, das 14h30 às 17h15.
Preços: 6 euros. Bilhete combinado com a Gruta do Natal, 9 euros
Contacto: 295 212 992

Gruta do Natal
Descoberta de um pouco da história dos Açores
Para quem procura aventura e beleza, a Gruta do Natal, no concelho de Angra do Heroísmo, é uma proposta a ter em conta. Com valor histórico e geológico, foi composta por lavas fluidas que formaram vários túneis e ramificações. O túnel de lava tem 697 metros de comprimento e mantém o seu estado original. 

Local: Altares, Angra do Heroísmo, Terceira, Açores
Horário: Até março de 2019, terças, quartas, sextas e sábados, das 14h30 às 17h15
Preços: Bilhete combinado com Algar do Carvão, 9 euros
Contacto: 295 212 992

Grutas da Moeda
Beleza natural de 350 metros
Com uma extensão visitável de 350 metros e uma profundidade de 45 abaixo da entrada, as Grutas da Moeda, na Batalha, são um local de beleza ímpar. Em 1971, dois caçadores perseguiam uma raposa que se refugiou num algar existente no meio do bosque.

Ao entrarem, aperceberam-se da sua beleza: descobriram as Grutas da Moeda. Contam com galerias repletas de inúmeras formações calcárias e uma temperatura constante a rondar os 18 graus. 

Local: Largo das Grutas da Moeda, S. Mamede
Horário: Todos os dias. Inverno: 9h00 às 17h00 e verão: 9h00 às 19h00.
Preços: Até 4 anos, grátis; 5-12 anos, 4 euros; Mais de 12 anos, 7 euros
Contacto: 244 703 838

Grutas das Lapas
Por baixo da aldeia de Lapas há labirintos e galerias para ver
Um investimento de 100 mil euros, feito no início do ano pelo município de Torres Novas, permitiu a remodelação e a criação de um circuito de interpretação.

Há um percurso interligado com a aldeia, exposições e melhor iluminação. As Grutas das Lapas ‘escondem-se’ num labirinto de galerias escavadas na rocha, por baixo de casas e ruas da aldeia que lhe dão nome. 

Escoural
Histórias com mais de 50 mil anos contadas debaixo da terra
Classificada como monumento nacional desde 1963, o conjunto arqueológico e da Gruta dos Escoural, em Montemor-o-Novo, revela vestígios de arte rupestre com mais de 50 mil anos de história, referentes ao Paleolítico Médio.

A gruta, que foi abrigo e mais tarde uma necrópole, foi escavada por ação das bacias hidrográfica do Sado e Tejo e só pode ser visitada por marcação, com um número máximo de 10 pessoas por grupo.
Ver comentários