Barra Cofina

Correio da Manhã

C Studio
5
C-Studio
i
C- Studio é a marca que representa a área de Conteúdos Patrocinados do Universo
É o local onde as marcas podem contar as suas histórias e experiências.

Dos mares do Norte até ao seu prato. Já conhece a deliciosa viagem do bacalhau?

Viaje connosco pelo processo do que nos traz o maior símbolo da gastronomia portuguesa.
24 de Maio de 2022 às 11:41

É uma herança de séculos. O sabor único do bacalhau resulta da Cura Portuguesa, um processo tradicional que continua a ser respeitado, mas com uma inovação que surge como uma pequena grande vantagem para os consumidores: agora o bacalhau já nos chega demolhado e pronto a cozinhar!



A pesca


Atlântico Norte, águas da Islândia e da Noruega. Tudo começa aí, sobretudo na primeira metade do ano. Este é por excelência o tempo para a pesca do bacalhau. Aí a empresa de referência do setor em Portugal, a Riberalves, estabeleceu ao longo de décadas as parcerias com os melhores produtores, garantindo assim o acesso ao bacalhau de excelência. O processo repete-se todos os anos. O bacalhau é pescado e transportado para Portugal, seguindo o processo da Cura Tradicional Portuguesa. O mesmo é dizer que, entre a pesca e a chegada ao consumidor final, pode passar mais de um ano – para que o bacalhau seja submetido às etapas que lhe conferem todo o sabor.




A cura portuguesa e a maturação no sal


Esse processo, a Cura Portuguesa, está diretamente relacionado com a salga do bacalhau e o tempo em que a proteína fica em maturação no sal. Sim, depois de escalado e salgado, o bacalhau pode ficar até mais de um ano em repouso no sal. Quanto mais tempo, mais intenso será o sabor, melhores as lascas e a qualidade final. Esse momento mágico de transformação do bacalhau decorre em câmaras de maturação, como as que a Riberalves tem instaladas na maior fábrica mundial de transformação de bacalhau, na Moita. Em função deste processo, a marca é pioneira a identificar nas embalagens dos seus produtos o tempo de cura do “fiel amigo”, para que os consumidores possam escolher o bacalhau preferido e decidir a experiência de consumo perfeita.





A demolha perfeita


Depois da maturação no sal, o bacalhau passa em túneis de secagem, num processo que substitui as antigas secas de bacalhau a céu aberto – para que o seu teor de humidade seja reduzido. Antigamente, estaria pronto para seguir para o mercado. Contudo, nos últimos anos, surgiu uma importante novidade. A Riberalves acrescentou ao processo a fase da demolha, que se realiza em água a temperatura controlada, e em tempo específico, consoante o tipo de postas – tudo operações implementadas na fábrica da Moita, com tecnologia desenvolvida à medida e a experiência de uma equipa com cerca de 350 colaboradores. E assim o bacalhau chega ao consumidor com um ponto de sal perfeito e pronto a cozinhar.





Conveniência, versatilidade e sabor


Já nas nossas casas, está vencido, portanto, o principal constrangimento associado ao consumo do bacalhau: a demolha! Hoje, com os novos ritmos de vida, o consumo do bacalhau de cura portuguesa está mais fácil do que nunca. Os consumidores têm acesso às mais diversas partes do bacalhau, sejam postas tradicionais, lombos, caldeiradas, desfiados, bochechas ou línguas, com a vantagem de estarem prontas a cozinhar, garantindo assim uma refeição deliciosa, de máxima qualidade, numa questão de minutos. Não precisa de comprar um bacalhau inteiro! Seja uma receita mais elaborada, para momentos mais especiais ou de celebração, seja uma prática e fresca salada de primavera-verão. A tradição e o sabor do bacalhau de cura portuguesa renovam-se todos os dias. E este peixe de origem 100% selvagem, saudável, continua a sua deliciosa viagem enquanto símbolo maior da gastronomia portuguesa.



}