Barra Cofina

Correio da Manhã

Albufeira
6
Especiais C-Studio
i
C- Studio é a marca que representa a área de Conteúdos Patrocinados do Universo
É o local onde as marcas podem contar as suas histórias e experiências.

Albufeira no topo do dinamismo económico em Portugal

Capital do turismo está em primeiro lugar nos ratings concelhios. Classificação observa os principais pontos fortes e fracos de cada concelho, tendo em conta indicadores como atividade económica, saúde, educação, cultura, habitação, entre outros
26 de Dezembro de 2019 às 14:15
José Carlos Rolo, presidente da Câmara Municipal de Albufeira
José Carlos Rolo, presidente da Câmara Municipal de Albufeira
José Carlos Rolo, presidente da Câmara Municipal de Albufeira

Albufeira é o concelho com maior rating de dinamismo económico em 2019 em Portugal. Uma análise do rating concelhio da Marktest para a edição deste ano mostra que Albufeira regista o valor mais elevado, tendo obtido 15,3 pontos, numa escala de 1 a 20.

Disponíveis na aplicação web Municípios Online, os ratings concelhios são métricas criadas pela Marktest em 2014, que pretendem dar ferramentas às entidades locais e empresas com dispersão regional, ao permitir observar rápida e intuitivamente os principais pontos fortes e fracos de cada concelho.

O rating de dinamismo económico é composto por mais de uma dezena de indicadores – demografia, famílias, habitação, educação, saúde, cultura, empresas, emprego e desemprego, atividades económicas e não só –, cujo objetivo é medir este mesmo dinamismo em cada concelho. Cada indicador é classificado com uma notação de 1 a 20, tendo em conta a posição do concelho no conjunto dos 308 concelhos do País.

"Bronze" para o município

O município de Albufeira destaca-se de igual forma por ter voltado a ocupar uma excelente posição no ranking dos municípios com maior independência financeira – o 3.º lugar da tabela geral e a 5.ª posição entre os municípios de média dimensão – na apresentação do 15.º Anuário Financeiro dos Municípios Portugueses. O presidente da câmara municipal, José Carlos Rolo, está bastante satisfeito com a notícia, frisando que "a sustentabilidade económica e financeira da autarquia é uma medida prioritária, que revela o bom desempenho do Executivo e dos seus trabalhadores, dá garantias de desenvolvimento às empresas e contribui para o bem-estar das populações".

Albufeira é o terceiro município do País que apresenta a maior independência financeira, com um rácio de 89,7%, de acordo com a informação disponibilizada, recentemente, no Anuário Financeiro dos Municípios Portugueses 2018. O estudo contempla o universo dos 308 municípios, sendo que os valores são apurados globalmente, por natureza económica, tanto no que respeita à receita como à despesa, com especial atenção para a estrutura e evolução, quer em termos absolutos quer em termos relativos.

Para existir independência financeira, os municípios têm de apresentar receitas próprias que representem, pelo menos, 50% das receitas totais. O ranking é liderado por Lisboa com 92,1%, sendo que a segunda, terceira, quarta e quinta posições são ocupadas por municípios algarvios, de média dimensão: Lagoa, Albufeira, Lagos e Loulé, respetivamente.

A autarquia integra, igualmente, a lista dos municípios com maior volume de receita, aparecendo na 22.ª posição da tabela geral – terceiro lugar dos municípios de média dimensão – verificando-se, no entanto, um decréscimo de receita cobrada. A situação prende-se com a descida da receita fiscal, nomeadamente com a diminuição de impostos diretos (IMI/IMT/IUC/Derrama -3 milhões de euros) e de taxas, multas e outras penalidades (-2 milhões de euros), bem como decréscimos de receita proveniente da venda de bens e serviços (-2 milhões de euros).

Autarquia reduz impostos

Refira-se que em 2018 a cobrança do Imposto Municipal sobre Imóveis (IMI) representou 26,4% em relação à receita total cobrada. A taxa aplicada foi de 0,3%, o mínimo permitido por lei, uma medida de desagravamento fiscal que o presidente da câmara considera fundamental. José Carlos Rolo sublinha que "esta redução de impostos só foi possível graças ao esforço realizado pela autarquia ao nível do equilíbrio orçamental das contas públicas, com benefícios significativos no âmbito da qualidade de vida dos cidadãos".

Em relação ao Imposto Municipal sobre as Transmissões Onerosas de Imóveis (IMT), uma das receitas com maior impacto sobre a receita municipal, Albufeira consta entre os 35 com maior receita, apesar de ter apresentado uma descida do volume total da coleta (-4,7 milhões de euros, -23,5%). Entre outros fatores positivos refira-se ainda a receita da venda de bens e serviços correntes (3.ª posição) e o grau de execução da despesa relativamente aos compromissos assumidos (4.ª posição).

Ambiente e educação, bandeiras municipais

Albufeira voltou a ser galardoada com o diploma, a medalha e a bandeira do Programa ECOXXI, um projeto ambiental que reconhece o desempenho dos municípios. A bandeira, entregue ao município albufeirense numa cerimónia que teve lugar na Lousã nos últimos dias de outubro, já se encontra hasteada nos Paços do Concelho.

O ECOXXI é um programa de educação para a sustentabilidade, implementado em Portugal pela ABAE (Associação Bandeira Azul da Europa) e que visa o reconhecimento do trabalho desenvolvido pelos municípios em torno de alguns temas. Como por exemplo: educação ambiental para o desenvolvimento sustentável, sociedade civil, instituições, emprego, conservação da natureza, ar, água, energia, resíduos, mobilidade, ruído, agricultura, turismo e ordenamento do território.

Note-se que a medalha só é entregue aos municípios com valores superiores a 40% do índice ECOXXI. E a bandeira apenas nos casos de os municípios atingirem um índice igual ou superior a 50% do índice ECOXXI. A bandeira é considerada pela Comissão Nacional como indicativa da existência de um percurso consistente no sentido da sustentabilidade.

Finalista dos Prémios Município do Ano

Albufeira continua também a destacar-se na área da educação. Considerado o maior fórum de educação realizado no Sul do País, o OPTO foi um dos projetos finalistas dos Prémios Município do Ano – Portugal 2019. Pelo segundo ano consecutivo, o município de Albufeira chegou à final do concurso - iniciativa da Universidade do Minho -, que visa reconhecer as boas práticas de projetos implementados pelos municípios com impacto no território, na economia e na sociedade.

José Carlos Rolo, presidente da Câmara Municipal de Albufeira, recorda que o OPTO, que já vai para a oitava edição em 2020, "é um projeto que se tem afirmado como o evento mais significativo na área da educação, realizado no Sul do País". Este projeto, prossegue o autarca, "proporciona o acesso a informação diversificada que permite aos jovens conhecerem as várias oportunidades existentes, alargarem horizontes e tomarem decisões conscientes no que concerne ao seu futuro pessoal e profissional".

José Carlos Rolo acredita tratar-se de um projeto fundamental para os jovens e para as famílias, com repercussões importantes a nível do tecido económico e empresarial da região.

Medalha de prata no poder de compra

Albufeira é o segundo município algarvio com o melhor poder de compra, de acordo com os dados divulgados pelo Instituto Nacional de Estatística. Segundo os indicadores do poder de compra per capita (IpC), relativos a 2017, a liderança na região vai para Faro, com o maior IpC (132,5), logo seguido de Albufeira (112,04) e Loulé (105,92). Albufeira destacou-se, também, ocupando a primeira posição a nível nacional no Fator Dinamismo Relativo (FDR), que pretende refletir o poder de compra induzido pela atividade turística.  

A 13.ª edição do Estudo sobre o Poder de Compra Concelhio refere que em 2017, "o poder de compra per capita situava-se acima da média nacional em apenas 32 dos 308 municípios portugueses", sendo que Albufeira faz parte deste universo. Ocupando a 14ª posição a nível nacional, o município faz parte dos 22 concelhos que concentram 50% do poder de compra. Faro, por sua vez, posicionou-se em 5º lugar, suplantado só por Lisboa, Porto, Oeiras e São João da Madeira.

Destaque-se que Albufeira arrecadou o 1.º lugar no indicador FDR, "o que confirma o dinamismo da região a nível turístico", destaca o presidente da Câmara Municipal de Albufeira. José Carlos Rolo sublinha que "os resultados alcançados refletem a estratégia e empenho do município e dos empresários do concelho em criar as condições necessárias para que tal aconteça, em benefício do bem-estar da população, sendo, também, um fator de atratividade para quem deseje aqui viver ou fazer investimentos".

No Top 25 nacional e em terceiro a nível regional

O concelho de Albufeira está no Top 25 a nível nacional e ocupa o terceiro lugar no que diz respeito ao Algarve da 6.ª edição do Bloom Consulting Portugal City Brand Ranking© 2019, um estudo que classifica as melhores cidades para fazer negócios, visitar e viver. O Portugal City Brand Ranking, estudo anual desenvolvido pela Bloom Consulting, baseia-se num algoritmo proprietário, que considera diversas fontes de informação relacionadas com as três dimensões analisadas e já supracitadas - negócios, visitar e viver. Os resultados finais analisam as perceções sobre um concelho, classificam o seu desempenho de uma forma tangível e realista e medem o sucesso da marca de cada um dos 308 municípios portugueses.

Líder do ranking nacional de praias com qualidade de ouro

Albufeira ostenta 18 praias com a indicação máxima de qualidade ambiental, através da bandeira de ouro, numa atribuição da Quercus – Associação Nacional de Conservação da Natureza. Deste modo, ocupa o primeiro lugar na listagem dos municípios cujas praias possuem qualidade garantida.

Albufeira Cidade Educadora