Barra Cofina

Correio da Manhã

Especiais C-Studio
4
Especiais C-Studio
i
C- Studio é a marca que representa a área de Conteúdos Patrocinados do Universo
É o local onde as marcas podem contar as suas histórias e experiências.

A Europa que defendo e a cidade que ambiciono

Acredito que a cidade Lisboa que ambiciono consiga reforçar a sua identidade na Europa que defendo.
9 de Maio de 2021 às 07:16
Artigo de opinião de Carlos Moedas, Ex-comissário europeu e candidato à CM Lisboa

Facebook
Twitter
Instagram
De 2014 a 2019, geri como comissário europeu o maior programa do mundo nas áreas da Investigação, Ciência e Inovação, com um orçamento de 80 mil milhões de euros. Antes de concluir o mandato em 2019, ainda consegui negociar que o próximo programa fosse dotado de cerca de 100 mil milhões de euros.

Mais importante do que estes números avultados, é o impacto direto destas verbas no quotidiano dos cidadãos europeus. Nestas áreas, os fundos europeus contribuem para maior crescimento económico, mais prosperidade e criação de emprego de valor acrescentado: criam-se equipas de investigação com jovens cientistas promissores, descobrem-se tratamentos e curas inovadoras, apoia-se a criação de empresas inovadoras que desenvolvem produtos de mãos dadas com as universidades.

Foi esse projeto europeu, próximo dos cidadãos, concreto, visível e descentralizado de Bruxelas, que defendi durante a minha experiência europeia. Porquê? Porque até hoje nunca esqueci o cheque Erasmus que recebi e abriu-me os horizontes, mudando a minha vida para sempre.

Tal como o programa que geri, sempre considerei que os fundos europeus devem responder às expectativas dos nossos cidadãos e ajudar a resolver os seus problemas quotidianos. Por isso, até hoje, em todo o meu percurso profissional, os meus anos europeus são sem dúvidas os que mais me marcaram precisamente por ter estado a contribuir para termos mais europa e ajudar cidadãos das mais variadas nacionalidades nos seus dia-a-dia.

Como comissário europeu, percorri o mundo de lés a lés e Portugal de Norte a Sul, e as nossas ilhas. Testemunhei que as políticas públicas com maior impacto nos cidadãos são cada vez mais tomadas ao nível

Carta da Europa