Barra Cofina

Correio da Manhã

Cm ao Minuto
5

NATO reúne-se para analisar retirada de diplomatas de embaixadas do Afeganistão

Evacuação do país estará no centro das discussões. Canadá e Austrália também enviaram forças especiais para evacuar as respetivas embaixadas.
Lusa 13 de Agosto de 2021 às 15:33
Em pouco mais de uma semana, os talibãs já conquistaram cerca de metade das 34 capitais provinciais.
Em pouco mais de uma semana, os talibãs já conquistaram cerca de metade das 34 capitais provinciais. FOTO: Getty Images
A NATO, aliança militar que une os Estados Unidos e a Europa, convocou uma reunião para esta sexta-feira para analisar a decisão dos Estados Unidos de enviar militares para retirar todo o pessoal diplomático e colaboradores do Afeganistão.

A reunião, que será presidida pelo secretário-geral da NATO (Organização do Tratado do Atlântico Norte, também chamada Aliança Atlântica), Jens Stoltenberg, está marcada para as 13h00 GMT (14h00 em Lisboa), avançou a agência francesa de notícias AFP, citando duas fontes diplomáticas.

"A evacuação" do país estará no centro das discussões, com as opções e adaptações militares necessárias para proceder a estas saídas, afirmou um dos responsáveis.

Washington e Londres anunciaram na passada quinta-feira o envio de milhares de soldados a Cabul para ajudar a retirar do país diplomatas e cidadãos face ao rápido avanço dos talibãs em direção à capital afegã.

Decisão semelhante foi anunciada esta sexta-feira pelo Canadá e pela Austrália, que também resolveram enviar forças especiais para evacuar as respetivas embaixadas.

O movimento extremista islâmico talibã lançou uma ofensiva em maio, com o início da retirada final das tropas norte-americanas e estrangeiras, a qual deverá estar concluída até 31 de agosto.

Em pouco mais de uma semana, os talibãs já conquistaram cerca de metade das 34 capitais provinciais, incluindo Kandahar, a segunda maior cidade do país, estando atualmente a poucos quilómetros da capital do país, Cabul.

Os talibãs lideraram o Afeganistão entre 1996 e 2001, impondo a sua versão rigorosa da lei islâmica.

Em 2001, foram atacados por uma coligação internacional liderada pelos EUA, que tentavam capturar Osama bin Laden depois dos atentados de 11 de setembro.

NATO Europa Afeganistão Estados Unidos Cabul distúrbios guerras e conflitos política diplomacia terrorismo
Ver comentários