Barra Cofina

Correio da Manhã

Cm ao Minuto
2

ONU em negociações intensas para estender acordo de exportação de cereais da Ucrânia

Compromisso ajudou a reduzir os preços mundiais dos alimentos.
Lusa 7 de Outubro de 2022 às 22:52
Cereais ucranianos
Cereais ucranianos
As Nações Unidas mantêm negociações intensas para estender o acordo para exportação de cereais da Ucrânia, o que ajudou a reduzir os preços mundiais dos alimentos, disse esta sexta-feira o porta-voz do secretário-geral da ONU, António Guterres.

"As equipas do Secretário-Geral estão envolvidas em contactos intensos sobre essas questões. António Guterres e a sua equipa estão a trabalhar duramente para prolongar e expandir a Iniciativa de Grãos do Mar Negro", disse Stéphane Dujarric.

"Eles também estão a trabalhar ativamente para remover os obstáculos restantes às exportações russas de cereais e fertilizantes", acrescentou.

Dois acordos foram assinados em 22 de julho sob a égide da ONU: o primeiro, apelidado de "Iniciativa do Mar Negro a favor dos cereais", permitiu por 120 dias a exportação de cereais ucranianos bloqueados pela guerra; o segundo visa facilitar a exportação de alimentos e fertilizantes russos, apesar das sanções impostas pelos países ocidentais a Moscovo.

Contudo, apesar deste acordo, a Rússia queixa-se de não conseguir vender os seus produtos devido a sanções que afetam sobretudo os setores financeiro e logístico.

"O secretário-geral passa muito tempo ao telefone a tentar desbloquear a situação, as várias burocracias que impedem a facilitação deste comércio de fertilizantes e cereais russos", assegurou Stéphane Dujarric.

O porta-voz de Guterres também indicou que Rebeca Grynspan, responsável da ONU para o comércio e desenvolvimento e que tem participado nas negociações dos acordos, e o chefe da agência humanitária da ONU, Martin Griffiths, devem ir a Moscovo "em cerca de uma semana para se reunir com altos funcionários russos" sobre essas questões.

Os preços mundiais dos alimentos continuaram a cair em setembro pelo sexto mês consecutivo, anunciou esta sexta-feira a Organização das Nações Unidas para Agricultura e Alimentação (FAO).

Contudo, o índice de preços de cereais da FAO subiu ligeiramente, em 1,5%, em relação a agosto.

Ver comentários