Barra Cofina

Correio da Manhã

Cm ao Minuto
3

Votação pode não chegar aos 40%

A votação no referendo deste domingo sobre a despenalização do aborto até às 10 semanas de gravidez "dificilmente" atingirá os 40% de eleitores, segundo afirmou o porta-voz da Comissão Nacional de Eleições (CNE), Nuno Pinho de Matos, que salientou a fraca afluência às urnas registada durante a manhã.
11 de Fevereiro de 2007 às 16:13
Em declarações citadas pela rádio 'TSF', Pinho de Matos aponta, num cenário mais "optimista", que a participação dos portugueses no referendo de hoje seja maior que 30%, no entanto, estima que a mesma não passe dos 40%. O responsável baseia estas perspectivas nos primeiros resultados do STAPE, que às 12h00 registou uma afluência às urnas de 11,57%.
O mesmo porta-voz explicou que, num acto eleitoral normal, à mesma hora, verifica-se normalmente uma taxa média de afluência às urnas "acima dos 30%". Assim, os dados provisórios daquela entidade apontam para uma taxa de abstenção "demasiado alta" e uma taxa de afluência "extremamente fraca".
As mesas de voto abriram este domingo às 08h00 e encerram às 19h00. No primeiro referendo sobre o aborto de 1998 o ‘não’ obteve 50,07% e o ‘sim’ 48,28% dos votos. Também neste escrutínio a abstenção obteve os maiores resultados, atingindo o valor recorde de 68,11 por cento.
Ver comentários