Barra Cofina

Correio da Manhã

Cultura

A fúria dos heróis

Os músculos podem estar flácidos, as rugas já não se escondem e as tácticas de luta não se compadecem com efeitos 3D. Apesar disso, depois de recuperar ‘Rocky’ e ‘Rambo’, Sylvester Stallone decidiu convocar os nomes mais sonantes dos filmes de acção dos anos 80 e 90 e ser mestre de cerimónias de uma reunião de ‘duros’ à antiga, cheia de tiros, golpes nos rins e diálogos de poucas frases, carregados de ironia.
13 de Agosto de 2010 às 00:30
Em jeito de homenagem às obras de acção dos anos 80 e 90, velhos rostos surgem como justiceiros do século XXI
Em jeito de homenagem às obras de acção dos anos 80 e 90, velhos rostos surgem como justiceiros do século XXI FOTO: direitos reservados

‘Os Mercenários’, que chega hoje às salas, segue o estilo áspero dos filmes que privilegiam a pancadaria e coloca ‘Sly’ a liderar um grupo de justiceiros composto por Dolph Lundgren, Jason Statham, Jet Li, Mickey Rourke e Terry Crews.

A trupe tem como missão libertar uma ilha latina das garras de um mafioso dos piores, vivido por Eric Roberts, mas Arnold Schwarzenegger e Bruce Willis também aceitaram o repto e aparecem numa célebre cena, em que a figura de Stallone brinca com as ambições políticas do governador da Califórnia.

Criado como um filme auto-irónico, ‘Os Mercenários’ tentou incluir Jean-Claude Van Damme e Wesley Snipes na parada de estrelas, mas sem efeito. Já a personagem de Brittany Murphy, que morreu em Dezembro passado, aos 32 anos, foi retirada da versão final.

Porém, a reunião correu tão bem que Stallone já fala numa sequela. Os duros viram costas à reforma.

Ver comentários