Barra Cofina

Correio da Manhã

Cultura
1

Acompanhe aqui tudo sobre o último dia de NOS Alive

The Libertines, Foster The People, Nicolas Jaar e Bastille são os cabeças de cartaz que sobem ao palco no 3.º dia e encerram o festival. (Atualizada domingo, às 04h00)

10 de Julho de 2014 às 17:38
O festival já começou em Algés
O festival já começou em Algés FOTO: Manuel de Almeida/Lusa

MINUTO A MINUTO DO 3.º E ÚLTIMO DIA DO NOS ALIVE

04h00

O final do NOS Alive num terceiro dia bastante forte. The Black Mamba, PAUS, Chet Faker e Foster The People e The Libertines em nota alta. Bastille apenas com o percalço final e um Jungle revelação no palco Clubbing, a convencer muitos festivaleiros (dos 50 mil que estiveram no evento, segundo a organização) a agitar o corpo. No geral, um excelente dia de fecho de um festival que cumpre o que promete.

O NOS Alive 2015 já tem datas anunciandas: 9, 10 e 11 de julho.

03h20

Prestes a terminar o terceiro e último dia do NOS Alive, os Caelum's Edge, que tocaram esta tarde no Palco Clubbing, deram uma entrevista exclusiva ao CM e aproveitaram para comentar o último dia de festival. É a segunda vez que a banda do Barreiro toca no festival.

Em 2013 o rock-alternativo, fresco e sentido, com cheiro a 30 Second To Mars, mereceu um 2º lugar no concurso de Bandas do Hard Rock Cafe e uma atuação no pórtico do Alive. Este ano, o primeiro lugar garantiu-lhes espaço num dos palcos secundários com mais público. "Para o ano estamos ali [brinca o baterista, Diogo Lopes, enquanto aponta para o palco NOS]". A banda assume que vê o trabalho reconhecido, melhor resposta do público e espanta-se com alguns fãs que vão sabendo letras de cor. Os Caelum's Edge preparam o lançamento do álbum, ainda em negociação com a Sony.

Em comentário ao último dia do NOS Alive, a banda destaca Foster The People, Daughter e Bastille (especialmente o problema de som que arruinou 'Pompeii'). 

02h50

Volta a desgarrada final do dia (e hoje, do NOS Alive) entre os palcos Heineken e Clubbing. O eletro-house com notas claras de hip hop de A-Trak enche o palco Clubbing de batida, ao mesmo tempo que Nicolas Jaar mantém a onda de deep house, mais relaxada, no Palco Heineken.

02h05 

Chet Faker interpreta 'No Diggity' já nos finais de um concerto marcado pela boa energia e tenda cheia, no palco Heineken do NOS Alive.

01h23

Começa a atuação do australiano Chet Faker no palco Heineken. Na estreia em Portugal, ouve-se o álbum 'Thinking in Textures'.

00h47

Os The Libertines continuam a dar um bom concerto. Verdadeiramente de se lhe tirar o chapéu (coisa que Pete Doherty não fez. Má educação ou apenas libertinagem?), é um fecho animado do palco NOS, no NOS Alive 2014.

00h18

Começa o concerto dos ingleses The LIbertines, a banda do polémico Pete Doherty. Alguns curiosos que foram sepreitar Daughter à tenda do palco Heineken voltam ao palco NOS. Uma noite eclética e diversificada no NOS Alive para os 50 mil festivaleiros presentes neste último dia de festival.

23h44

Foster The People despedem-se do NOS Alive com 'Don't Stop' em jeito de diversão. Um bom concerto na estreia da banda em Portugal

23h40

O êxito 'Pumped Kicks', dos Foster The People, faz um mar de braços elevar-se no Palco NOS. 

23h21

Os americanos Foster The People cantam ‘Call It What You Want'. O público do passeio marítimo de Algés salta e dança. Clima de festa no último dia do NOS Alive.

22h47

Atuam os Foster The People no Palco NOS, trazendo na algibeira o álbum 'Torches', o indie-pop, meio rock sintetizado agrada ao público. No Palco Heineken, o projeto português PAUS anima com um rock minimalista.

22h05

Problemas de som no tema final, 'Pompeii', deixam o concerto dos Bastille a terminar em nota baixa. A plateia do palco NOS canta o tema, apesar de tudo.  A expetativa não foi bem concretizada.


21h50

Os Bastille tocam 'Of The Night', depois de recolherem souvenirs de Portugal. O público do nós Alive salte em peso.


21h20 

Ouve-se 'Hate With Grace' no palco NOS, tema dos Bastille que só será apresentado oficialmente na semana que vem. Início da noite cheio de estreias, o vocalista já tem a bandeira portuguesa presao ao microfone.

21h06

Dan Smith cumprimenta o público do NOS Alive antes dos Bastille tocarem ‘Can You Feel It' e ‘Overjoyed'. Intercalado, um "obrigado" em português atrapalhado, mas com boa intenção.

20h54

Bastille a estrear-se em Portugal, no palco NOS, com ‘All This Blood'(do álbum homónimo).

20h25

Prestes a terminar uma excelente prestação, os The Black Mamba anunciam quevão haver novidades discográficas num futuro próximo. Ao mesmotempo, a organização dos NOS Alive presenteia os festivaleiros com um espectáculo de aviões em acrobacias aéreas. O ambiente é indiscritivelmentebom.

20h17

No palco Heineken os War on Drugs apresentam temas do mais recente ‘Lost In Dream'. O registo indie rock de Adam Granduciel, carregado de influências norte-americanas, dá mote à festa.

19h53

"Sentem-se Alive?", perguntam os The Balck Mamba mesmo antes de arrancarem com o sublime ‘It Ain't You Baby'. O público do palco NOS delira, especialmente no solo de guitarra.

19h33

Decorre o concerto dos portugueses The Black Mamba no palco NOS. A descontracção do soul e blues, os trompetes e os coros ao estilo gospel asseguram uma vibração contangiante no NOS Alive.

19h17

Toca agora no palco NOS Clubbing o duo de post-grunge Drenge. O ritmo acelera no NOS Alive, à medida que chegam mais e mais ao recinto. Encontram-se grandes gruposde ingleses, num dia em que o destaque está na música de terras de sua majestade, comas atuações dos The Libertines e Bastille no palco NOS, mais logo.

18h54

Começa o concerto do americano Cass McCombs. Promete-se um concerto intimista de bom folk-rock no palco Heineken. A melancolia de temas como ‘Brighter', imortalizado pela voz de Karen Black (a brilhante atriz falecida em 2013) garantem um excelente sunset no NOS Alive.

18h33

O rock fresco e o jovem dos Caelum's Edge garante a animação no palco Clubbing. O concerto está quase a terminar.

18h30

E arranca em grande forma o último dia do NOS Alive. No palco principal, o sexteto português You Can't Win Charlie Brown agita o público ao som do ‘Over the Sun/Under the Water'. A sonoridade que vai do pop ao quase tribal assegura uma boa abertura do palco NOS.

MINUTO A MINUTO DO 2.º DIA DO NOS ALIVE

03h50

O NOS Alive continua em força, já nas últimas atuações do dia. O público pede mais e mais, e não dá mostras de estar cansado. No dia de hoje, prestes a findar, Buraka Som Sistema, The Black Keys e Diplo são considerados pelo público "as atuações mais contagiantes da noite" do Passeio Marítimo de Algés. Nota ainda para Sam Smith, que surpreendeu, encantou e arrebatou o público do NOS Alive, na sua estreia em terras lusas. Amanhã, o último dia do NOS Alive, conta com a estreia em Portugal dos ingleses Bastille, aguardados com muita expetativa. Também os Foster The People (responsáveis pelo êxito 'Pumped Up Kicks'), os The Libertines e o autraliano Chet Faker prometem a melhor música, naquele que para muitos fãs é um dos melhores festivais de verão.

03h15

A 'dance music' continua em destaque no NOS Alive. De um lado, no Palco Clubbing, Branko (dos Buraka Som Sistema) retoma a batida forte do kuduro progressivo, com notas e remixes mais eletrónicos, para gáudio dos fãs. Do outro, no Palco Heineken, o mestre percussionista Caribou (que atuou no primeiro dia do NOS Alive enquanto Daphini) mostra o melhor da folktrónia e da neo-psicadélica. Há festa para todos os gostos e há mesmo quem circule de um palco para outro.

02h10

Boys Noize e SBTRKT competem pelo maior público nos palcos Clubbing e Heineken, repetivamente. Entre o eletrónico dos primeiros e o post-dubstep/indiepop dos segundos, a escolha do favorito é bastante renhida.  

01h45

Termina a atuação absolutamente memorável dos dos Buraka Som Sistema. O encore tem direito a T-shirts e camisas no ar, mulheres ás 'cavalitas' dos homens, saltos, dança e a maior animação. Ouve-se 'Voodoo Love' a fechar . Branko, o produtor e membro da banda, despede-se com um "até já", uma vez que ainda vai atuar no palco NOS Clubbing, no final da noite.

01h27

A fechar concerto com um 'Kalemba', uma hora depois de ter começado, os Buraka não mostram sinais de cansaço, mesmo depois de terem atuado na Holanda dias antes; o público do palco NOS também não.

01h10

Um grande grupo de raparigas do público do NOS Alive invade o palco e junta-se à sensualidade de Blaya. A festa do kuduro progressivo está instalada. Como dito pelos Buraka: "não somos música de Portugal, somos música do Mundo".

00h40

Os Buraka Som Sistema fazem o público 'descer' em peso até ao chão ao som de parede. O ritmo é absolutamente eletrizante. Um grupo de festivaleiros espanhóis ouve a banda portuguesa pela primeira vez e afirmam que "nunca viram nada assim".  

00h27

Começa o concerto dos Buraka Som Sistema e o público arranca a dançar logo aos primeiros acordes, com Blaya a marcar o ritmo. 'Hangover' a abrir hostilidades no Palco NOS.

00h08

Termina em grande a atuação dos The Black Keys no palco NOS. Por esta altura, as Au Revoir Simone apresentam temas do mais recente álbum (de 2013) 'Move in Spectrums'. O indie-pop mágico do grupo feminino encante e elevaàs nuvens o público do palco Heineken. 

23h56

Dan Auerbach e Patrick Carney tocam ‘I Got Mine' sozinhos, sem o apoio da banda. A plateia do palco NOS continua a vibrar com os The Black Keys. Entretanto, já alguns milhares de pessoas ensaiam os movimentos para os Buraka Som Sistema, com o set do DJ Diplo, na tenda Clubbing.

23h29

O público do palco NOS assobia a melodia de ‘Thighten Up' com os The Black Keys, que agradecem a Lisboa.

23h13

Ao mesmo tempo, Diplo apresenta um remix contagiante de ‘Heads Will Roll', dos Yeah Yeah Yeahs, com batida funk. O público dança efusivo no NOS Clubbing.

23h10

Os The Black Keys pedem ajuda aos fãs do NOS Alive, para juntos cantarem ‘Howlin' for You'

23h05

Enquanto os The Black Keys tocam ‘Bullet in the Brain', começa a atuação do DJ Diplo no palco Clubbing. A promessa de música electrónica misturada com influências de funk carioca convence largas centenas de festivaleiros.

22h49

‘Gold on the Ceiling' ouve-se no NOS Alive. O blues-rock do duo de Ohio faz as delícias do público.'The Black Keys' provam que estão em grande forma.

22h34

Arranca o concerto dos ‘The Black Keys' para uma plateia ansiosa de 50 mil pessoas.

22h19

A multidão, que por esta altura atinge já certamente os 50 mil, corre massivamente para o palco NOS para marcar lugar no concerto dos ‘The Black Keys'.

22h15

Termina o concerto de Sam Smith em nota alta (a especialidade do cantor), com ‘Stay With Me'.Os festivaleiros portugueses e alguns ingleses recuperam o fôlego de um concerto que dizem "surpreendente", "emocionante" e "perfeito".

22h07

Sam Smith emociona-se ao cantar (de forma soberba) a versão acústica de ‘Latch' e arranca as lágrimas à plateia.

22h01

‘La La La', o êxito do último verão de Naughty Boy com Sam Smith, é gritado a plenos pulmões pelo público do NOS Alive.

21h51

Segue-se ‘Money on My Mind', o single mais conhecido de Sam Smith, que é entoado a uma voz com todo o público.

21h46

Sam Smith traz a tenda Heineken abaixo quando canta um cover de ‘Do I Wanna Know' dos Arctic Monkeys, um dos grandes concertos da noite de ontem no NOS Alive. 

21h31

Sam Smith confessa-se espantado perante a grande assistência que tem no palco Heineken. Conta aos fãs que esteve em Portugal aos 9 anos e que nunca se esqueceu do quão belo é. Agora, canta ‘Leave your lover'.

21h23

No palco Heineken, a voz inconfundível do britânico Sam Smith começa a ouvir-se. A estreia em Portugal do cantor, conhecido pelas colaborações com ‘Disclosure' e ‘Naughty Boy', está envolta em grande expectativa.

21h19

Intercalando temas do novo álbum homónimo como ‘your life is a lie', com êxitos como ‘electric feel', a indietrónica dos MGMT continua a manter o espírito relaxado no palco NOS.

20h43

A revelação norte-americana do rock psicadélico está em alta no NOS Alive. Os MGMT cantam o ‘Time to Pretend' e pedem ao público para os acompanhar.

20h31

Grupos de espanhóis juntam-se a ingleses, holandeses e até australianos. Nas várias línguas fala-se em festa, rock psicadélico e em descontracção. Tudo a postos para os MGMT que começam agora no palco NOS.

20h20

Termina o energético concerto de D'Alva, a fazer a ponte e a manter a animação para o que se segue: os MGMT sobem ao palco NOS dentro de minutos. Com um recinto cheio, a festa está garantida.

20h13

Terminado o concerto dos The Last Internationale, muita gente segue para o muito animado e interactivo espetáculo de D'Alva. O palco Heineken recebe o rock bem ritmado dos ‘Parquet Courts' e o público dança afincadamente.

19h43

A banda portuguesa ‘D'Alva' encabeçada por Alex D'Alva, põe o público da tenda NOS Clubbing a dançar da forma contagiante. A sonoridade, que associa a percussão a acordes psicadélicos, promete um bom ‘sunset'.

19h39

No palco Heineken atua o sexteto português For Pete Sake. O surf-pop com notas de rock e indie não podia complementar melhor o ambiente do NOS Alive. ‘Stains' e ‘House'convencem a plateia descontraída.

19h32

Os The Last Internationale explicam como é bom estar de volta a Portugal, uma vez que dois membros da banda são portugueses.

19h29

Já arrancou o concerto dos ‘The Last Internationale'. A banda de Nova Iorque promete uma atuação explosiva, como prova ‘Fire', tema que se ouve agora no Palco NOS e enche o recinto de uma mistura de blues e rock.


18h56

São esperadas 50 mil pessoas neste segundo dia do NOS Alive. O calor abrasador não demove os fãs, que se juntam nos espaços de sombra, mas também há quem não tenha medo do sol. Os Vicious Five terminaram agora a atuação no palco NOS.

18h46

Ouve-se 'Bad Mirror' dos Vicious Five, numa altura em que começam a chegar mais festivaleiros ao NOS Alive. A banda apresenta também quatro novos temas, criados durante o período de separação.  

18h37

Nos palcos secundários, a música está (bem) entregue. Por um lado vozes femininas, por outro o bom rock. No palco Heineken, o furacão espanhol Russian Red traz ao NOS Alive o melhor do indie folk de 'nuestros hermanos'. Já no palco Clubbing ouve-se Kuroma, a banda de Hank Sullivant, ex-guitarrista dos MGMT (que atuam hoje, no palco NOS, às 20h30).

18h11

Um arranque de segundo dia mais tímido, já se ouve o punk rock 'à antiga' dos portugueses Vicious five nos palco NOS. Depois de se terem separado em 2009, Joaquim Albergaria e companhia mostram estar na melhor forma. Esta é uma reunião muito especial dos Vicious Five, não estivessem a abrir as hostilidades no palco principal do NOS Alive.

13h30

O regresso dos norte-americanos The Black Keys a Portugal e a reunião dos portugueses The Vicious Five são dois dos destaques do cartaz desta sexta-feira do festival NOS Alive, que decorre no Passeio Marítimo de Algés.

MINUTO A MINUTO DO 1.º DIA DO NOS ALIVE
(quinta-feira) 

03h12

Para fechar hostilidades, a dupla de 'eletrohouse' Booka Shade dispara batida atrás de batida. Muitos ingleses, alemães e até um grupo de islandeses afirmam que os DJs, já com nome desde a década de 1990, foram uma das razões da presença no NOS Alive, que recebeu neste primeiro dia 55 mil pessoas.

02h00

Para manter o espírito de festa e a euforia, Jamie XX, da banda 'XX' traz o seu DJ set ao palco NOS Clubbing. A batida de chillout intercalada com um elétronico de quase-sonho convence os mais resistentes a continuarem a noite.

01h48

Termina o concerto dos Arctic Monkeys com o público em apoteose depois de três músicas de encore. A fechar com chave de ouro, o mais recente single 'R U Mine' faz a plateia abanar freneticamente a cabeça. Um concerto que superou todas as expectativas e que marcou a noite dos 55 mil festivaleiros que encheram o Passeio Marítimo de Algés, no primeiro dia do NOS Alive.

01h30

Mais de uma hora de concerto depois a banda inglesa continua em força e não dá mostras de cansaço. Sempre com piada pronta, o vocalista Alex Turner diz que é de Lisboa e toca os primeiros acordes de 'Baby I'm Yours'. Lisboa responde eufórica quando se segue 'Flourescent Adolescent' do primeiro álbum dos Arctic Monkeys, 'Favorite Worst Nighmare'

01h10

Depois de quase todo um 'AM' apresentado é tempo de recordar 'Humbug': 'Crying Lightning' não deixa ninguém indiferente.

00h53 

Os Arctic Monkeys surpreendem e não deixam os temas que marcaram o seu início de carreira para trás: 'I Bet You Look Good on The Dance Floor' é entoado qual hino pela multidão do NOS Alive.

00h39

Ao mesmo tempo, a norte-americana Kelis apresenta o seu novíssimo 'Flood' (editado em abril) no Palco Heineken. Há também espaço para os êxitos mais conhecidos: o público da tenda vibra com o ritmo contagiante de 'Milkshake' e 'Trick Me'.

00h31

Segue-se 'Snap Out of It', também do álbum 'AM', que vem provar os anseios do público: o concerto dos Arctic Monkeys marca a apresentação do mais recente álbum da banda em terras lusas. 

00h23

Arctic Monkeys arrancam a todo o gás com o êxito 'Do I Wanna Know'. O público do palco NOS não podia ter a letra melhor ensaiada e está ao rubro, ainda mal começou o concerto. 

23h48

Terminou o concerto dos Interpol com um "muito obrigado" em perfeito português. A pouco e pouco vai-se sentindo a concentração de gente que aflui para o Palco NOS, para marcar lugar no concerto que se segue. Os Arctic Monkeys são para muitos banda mais aguardada da noite. 

23h46

'Pda' dos Interpol marca a sonoridade do indie rock e post punk do Palco NOS. Entre as milhares de pessoas do público no NOS Alive, contam-se grandes grupos de fãs ingleses e espanhois que não quiseram perder a oportunidade de ver a banda de Nova Iorque. 

23h27

Os Interpol continuam a animar o palco NOS. O público teve a oportunidade de ouvir alguns temas em primeira mão. 

22h52

O público do NOS Alive divide-senos vários palcos do recinto. Enquanto uma grande massa humana se concentra no palco onde atuam os Interpol, a atuação dos Elbow junta muitos festivaleiros na tenda Heineken. Também o palco NOS Clubbing, onde toca Dapini, contagia algumas centenas de pessoas. 

22h40

Depois de um pequeno intervalo no palco NOS, os Interpol iniciam concerto. A banda norte-americana conta com uma grande legião de fãs que não perde uma atuação da banda. Os Interpol já fazem de Portugal (e dos festivais de verão nacionais) paragem obrigatória.

22h18

A movimentação dentro do recinto está condicionada. Os 55 mil festivaleirosque esgotaram o primeiro dia do Alive aproveitam para jantar e visitar os outros palcos. Salvador Martinha ajuda os festivaleiros a descomprimir no Jardim Caixa, com o seu humor irreverente. 

22h07

Terminou o grande concerto de Imagine Dragons, com promessas de um regressorápido e com um novo álbum. Os fãs da banda aqui no NOS Alive dizem que não podiam estar mais satisfeitos. 

21h56

Tocados pela reação do público português, os Imagine Dragons prometem voltar. Os grandes êxitos sucedem-se sem perder cadência. 'Radioactive' volta a arrancar o público do chão, em êxtase.

21h53

Dan Reynolds canta ‘Demons' enrolado na bandeira portuguesa. Os isqueiros acendem-se, os telemóveis também. Há quem chore, quem ria de orelha a orelha. Todos cantam a uma só voz.

21h48

E ouve-se o grande êxito ‘I'm on top of the world', que marcou o verão passado. Os Imagine Dragons levam o público NOS literalmente ao topo do mundo, com os saltos que acompanham a música.

21h44

‘Who we are' marca o ritmo de festa e resume o espírito do Festival NOS Alive. O palco dos Imagine Dragons apresenta-se com decoração minimalista: um meio globo gigante que reflete os focos de luz colorida.

21h35

O português Tiago Bettencourt já atua no palco Heineken. Um concerto mais pessoal e em tom intimista que, apesar de competir com os Imagine Dragons, tem tenda lotada.

21h30

"Vamos fazer algo especial", dizem os Imagine Dragons antes de fazerem o público saltar ao som de uma cover, ‘Song 2', dos Blur.

21h19

Assim que soam os primeiros acordes de ‘It's Time', um coro de 50 mil pessoas junta-se aos Imagine Dragons. O vocalista diz-se "em casa".

21h10

O vocalista dos Imagine Dragons, Dan Reynolds, afirma que adora o povo português. No palco NOS ouvem-se os êxitos do álbum ‘Night Visions'.

21h05

Imagine Dragons abrem concerto com ‘Fallen' e dizem que "é bom estar de volta". É a segunda vez que a banda está em Portugal.

21h00

A plateia do palco NOS não arredou pé depois do brilhante concerto de estreia dos The Lumineers. Começa agora a atuação dos Imagine Dragons para um público expetante.

20h32

The Lumineers cantam a nova música ‘Falling'. Despedem-se de "um público fantástico e caloroso". Cantam ‘Submarines'. O público aplaude eufórico.

20h30

O público do NOS Alive tem ‘Stubborn Love' na ponta da língua e canta a plenos pulmões com os The Lumineers. Segundo a plateia, o concerto de estreia da banda esteve muito acima das expetativas.

20h20

The 1975 atua para uma plateia modesta no palco Heineken. O palco Clubbing continua com pouca audiência, numa altura em que toca Pantha du Prince.

20h11

Continuam a chegar milhares de pessoas ao palco principal para ver os The Lumineers. O vocalista Wesley Schultz desceu do palco e está no meio do público, que vibra em apoteose.

19h50

Com o ambiente ao rubro depois do refrão ‘Ho hey!', os The Lumineers retomam o concerto que marca a estreia da banda em Portugal. O público do Alive acorre em massa ao palco principal e dança ao som do neo-folk rock do primeiro álbum, homónimo, dos Lumineers.

19h40

Os The Lumineers levam a casa abaixo agora que se ouvem os primeiros acordes do êxito ‘Ho hey!'.

19h10

Numa altura em que Ben Howard já fechou um concerto memorável e que conquistou o público do NOS Alive, a multidão ora espera ansiosamente pela atuação dos The Lumineers, ora ruma ao palco Heineken para ouvir os The Temples.

19h05 

Os portugueses Vitória Régia tocam o seu segundo 'set' no Raw Coreto. Alguns fãs do projeto concentram-se em frente ao pequeno palco e provam que há espaço e procura da nova (e boa) música portuguesa.

18h46:

Midland atuam no palco Clubbing para algumas dezenas de festivaleiros que preferem a música eletrónica ao Indie do palco principal. É lá que Ben Howard canta 'Only Love' em coro com milhares de fãs.

18h19: 

Ben Howard já atua no palco NOS. O inglês, vencedor de dois 'brit awards' em 2013, traz o melhor do Indie na abertura do palco principal do NOS Alive, para uma plateia de milhares, bastante animada.

18h11:

A multidão adensa-se no recinto e chegam agora mais pessoas, de todas as idades e nacionalidades. Grandes grupos de espanhóis, ingleses, alemães e irlandeses quiseram marcar presença no NOS Alive.  

18h00: 

O multi-instrumentalista Noiserv já atua. Em jeito de 'one man show', a animação no palco Heineken está garantida. David Santos, nome verdadeiro do artista, está a apostar num concerto intimista, à base de baladas harmoniosas e sentidas, vindas dos dois álbuns já editados por Noiserv.

17h40:

O NOS Alive já soltou amarras. O Passeio Marítimo de Algés está inundado de aficionados da música Rock, Indie e Alternativa, no dia em que são esperadas mais de 55 mil pessoas, o primeiro dia do evento.

Os Arctic Monkeys são os mais esperados por quem desespera na fila para entrar no recinto. Já lá dentro, milhares de festivaleiros circulam entre os palcos. Destaque para o palco Clubbing e Heineken, onde já atuam Tasker e Jacarés, respetivamente. O palco Jardim Caixa mantém o humor e o ambiente (já de si animado) com Juan Pereira, Duarte Silva, Manuel Machado e Miguel Rodrigues em comédia ‘Stand Up'.

NOS Alive concertos Artic Monkeys música Algés festival cultura Black Keys
Ver comentários