Barra Cofina

Correio da Manhã

Cultura
5

Ary Kueka: "A música foi o melhor professor que tive"

"Estamos a querer reciclar plástico, mas não estamos a reciclar o amor", refere o artista da ilha de Santo Antão, em Cabo Verde.
Tiago Sousa Dias 28 de Dezembro de 2021 às 17:19
A carregar o vídeo ...
"Estamos a querer reciclar plástico, mas não estamos a reciclar o amor", refere o artista da ilha de Santo Antão, em Cabo Verde.

Natural do Paúl, na ilha de Santo Antão, em Cabo Verde, Ary Kueka (Ary Duarte) vive agora no Mindelo, em São Vicente, e lançou o primeiro disco a que deu o nome de 'Sampadiu'. Esteve em Portugal para a sua apresentação e falou ao CM sobre o álbum, e a sua relação com a música que faz parte da sua vida desde que se conhece. Para o Ary a música foi um aconchego. O melhor educador e professor que teve. "Eu perdi os meus pais muito cedo, com cinco anos. Havia muita coisa que não fazia sentido e só a música me conseguiu dar a reposta, algum conforto e a voz para dizer o que sinto, descrever os problemas da sociedade, o dia a dia que vivi. A música para mim é uma fada madrinha, um anjo da guarda", conta Ary Kueka.

Depois de ter composto músicas gravadas por vários artistas como Ceuzany (Mindel d'Novas, também gravado por Tito Paris) ou Mirri Lobo, o cantor tem agora o seu próprio disco.  O tema que deu nome ao álbum foi 'Sampadiu'. Uma mistura de 'sampadjudu' com 'Badiu', como são chamados os habitantes de São Vicente e de Santiago numa rivalidade antiga.

"'Catxupa Rica Sampadiu' é uma composição que já tem dezoito anos. Saí de São Vicente para viver em Santiago e perceber a sua música e cultura. Foi a melhor coisa que fiz. Temos este bairrismo em Cabo Verde, que não faz sentido e ainda está a circular, infelizmente. Costumo dizer que somos insular e bipolar. O nosso prato é a cachupa, tem aqueles ingredientes todos que são os mesmos para 'sampadjudos' e 'badios'. Somos iguais. A diferença está na nossa cabeça. Fiz esta canção para tentar desconstruir essa cena, que é um absurdo. Prova disso é que quando estamos num país estrangeiro isso já não existe, somos todos cabo-verdianos", alerta o cantor de Santo Antão.

Uma das grandes apostas do seu disco é 'Reciclá', com produção de Khaly Angel e a guitarra de Ivan Medina, o tema já tem videoclipe lançado. "É uma canção que eu gosto muito. É um apelo que faço. Porque estamos a querer reciclar plástico, mas não estamos a reciclar a consciência, o amor, a empatia. Faz-me confusão os seres humanos reciclarem plástico enquanto se estão a 'borrifar' uns para os outros. A cada dia estamos a cavar mais o buraco na relação entre seres humanos. Isso é preocupante, então há que reciclar o amor", apela o cantor e compositor Ary Kueka.

Ver comentários