Barra Cofina

Correio da Manhã

Cultura
8

Carla Bruni não quer desistir da carreira

Carla Bruni poderá em breve acrescentar ao seu reportório uma versão especial de ‘Happy Birthday, Mr. President’ para o seu futuro marido, um pouco à semelhança do que Marilyn Monroe fez para John F. Kennedy.
8 de Janeiro de 2008 às 00:00
É que apesar de poder transformar-se na primeira-dama de França já em Fevereiro, depois do anunciado casamento com o presidente Nicolas Sarkozy, Bruni não pretende desistir da carreira artística.
“Carla não é de desistir da sua carreira na música por estar apaixonada por Sarkozy ou por outra coisa qualquer. Cantar é a coisa mais importante da sua vida”, revelou ao jornal britânico ‘The Times’ fonte da sua editora. Na verdade, de acordo com a mesma fonte, Carla está até a trabalhar num novo disco, o terceiro de originais da sua carreira, tendo já escrito seis temas em francês e italiano.
Pelo mesmo, diapasão afina Marisa Borini, mãe da cantora, que tratou já de enviar um aviso ao mais que provável genro. “Se Carla se tornar primeira-dama de França ela terá necessidade do seu próprio espaço e de tempo para escrever. Ela precisa de escrever poesia, compor música, gravar discos. Penso que o presidente não viu nela apenas uma bela rapariga e que respeita muito o seu lado artístico. Já falámos disso em conjunto e ele está completamente de acordo”, adiantou à imprensa.
Nos planos de Bruni está igualmente uma digressão mundial de promoção ao novo álbum, cuja edição não deverá acontecer antes do final do ano. Esta será, no entanto, uma preocupação acrescida para as autoridades francesas. Mais do que a cantora de voz cálida, Carla será nessa altura – se o casamento se confirmar – primeira-dama de França, o que fará dela um potencial alvo de grupos extremistas.
Até lá, quem sabe, Carla poderá até estabelecer uma parceria musical com Mosey, produtor de hip hop francês, cujo nome real é Pierre Sarkozy (22 anos), ou seja..., seu futuro enteado.
A "DEVORADORA DE HOMENS"
Com fama de “devoradora de homens” e confessa adepta da poligamia, Carla Bruni é uma coleccionadora de namorados. Do seu currículo fazem parte relacionamentos com vários músicos e actores famosos... e não só. Um dos seus romances mais badalados foi com Mick Jagger, na altura casado com a modelo Jerry Hall. Muitos garantem que foi Bruni quem precipitou o divórcio entre ambos. Tal como aconteceu depois com Donald Trump e Marla Maples. Mas há mais. Pelos lençóis de Carla Bruni passaram ainda o mago da guitarra Eric Clapton, os actores Kevin Costner e Vincent Perez. Fora do círculo artístico, Carla Bruni manteve também uma relação com Jean-Paul Enthoven, mas apaixonou-se pelo filho deste, Raphaël Enthoven, professor de Filosofia e pai do seu filho, Aurélien.
DATAS-CHAVE
23/12/67
Carla Bruni Tedeschi nasce em Turim, Itália, filha do compositor e industrial Alberto Buni Tedeschi e de Marisa Borini, pianista.
1973
Com apenas cinco anos, Carla e a família (tem mais uma irmã, Valeria, e um irmão, Virginio, falecido em 2006) mudam-se para Paris, França, para fugir de eventuais atentados do grupo terrorista Brigadas Vermelhas.
1987
Começa a dar os primeiros passos no mundo da moda.
1988
Abandona os estudos de arte e arquitectura - estudou na Suíça e, de volta a França, na Sorbonne - para se dedicar a tempo inteiro à carreira de modelo.
1989
A par de Linda Evangelista e Claudia Schiffer, Claudia Bruni torna-se numa das principais top model do Mundo, embolsando cerca de cinco milhões de euros por temporada.
1998
Abandona as passerelles - excepção feita a desfiles pontuais para Yves Saint Laurent e Jean-Paul Gaultier - alegando a falta de criatividade do mundo da moda.
1999/2000
Começa a surgir nas colunas de social apontada como responsável pelos divórcios de Mick Jagger e Jerry Hall e do multimilionário Donald Trump e Marla Maples.
2000
Inicia um romance com Jean-Paul Enthoven, mas acaba por se apaixonar pelo filho deste, Raphael (na foto), a quem dá um filho.
2001
Dá à luz um rapaz, Aurélien, fruto da relação com Raphael Enthoven.
Nov. 2002
Edita o seu primeiro disco, ‘Quelq’un m’a dit’, que vende 1,2 milhões de cópias só em França.
4/7/2006
O seu irmão Virginio, desenhador gráfico, morre de cancro.
Jan. 2007
Lança o seu segundo disco, ‘No Promises’, que atinge a liderança do top de França e Suíça.
Dez. 2007
Inicia relacionamento com o presidente francês, Nicolas Sarkozy.
Ver comentários