Barra Cofina

Correio da Manhã

Cultura
1

DGArtes abre candidaturas a programa que visa apoiar projetos interculturais

Iniciativa visa apoiar projetos interculturais que combatam o racismo e a discriminação.
Lusa 26 de Outubro de 2021 às 11:32
Museu
Museu
A Direção-Geral das Artes (DGArtes) abriu esta terça-feira as candidaturas ao programa de apoio em parceria com o Alto Comissariado para as Migrações (ACM), que visa apoiar projetos interculturais que combatam o racismo e a discriminação.

O aviso, publicado esta terça-feira em Diário da República e datado de dia 19 de outubro, torna pública a abertura desta linha do programa de apoio em parceria, dotada de 350 mil euros.

"Este Programa tem como principal objetivo apoiar a implementação de projetos que estimulem a fusão entre culturas e que contribuam para o combate ao racismo, à discriminação étnico-racial, à xenofobia e ao anticiganismo, incluindo formas de discriminação múltipla e intersecional, assim como a promoção da diversidade e dos valores da cidadania", pode ler-se no comunicado publicado na página da DGArtes.

O mesmo texto acrescenta que "são ainda objetivos do Programa Interculturalidade promover a participação, nos projetos artísticos, de profissionais das artes com distintos perfis e origens, incluindo portugueses ciganos, imigrantes e seus descendentes, e pessoas refugiadas, estimulando a sua participação no desenvolvimento de atividades em prol das comunidades, do território envolvente e do país".

Esta linha de apoio abrange todas as áreas artísticas e os projetos candidatos devem ser executados entre 01 de janeiro de 2022 e 30 de junho do ano seguinte.

Como noutras vertentes do programa de apoio em parceria, "a verba de 350.000 euros será atribuída de acordo com diferentes patamares financeiros, entre os 10 mil e os quarenta mil euros".

A parceria com o ACM é uma de várias do programa de apoio em parceria da DGArtes, segundo a declaração anual daquela entidade, que inclui uma dotação de 1,6 milhões de euros e prevê ainda acordos com o Centro de Estudos de Teatro da Faculdade de Letras da Universidade de Lisboa, com a Agência Portuguesa do Ambiente, com a Santa Casa da Misericórdia de Lisboa e com a Antena 2.

Ver comentários