Barra Cofina

Correio da Manhã

Cultura
1

Elvira Fortunato, ‘mãe’ do transístor de papel, vence Prémio Pessoa

Júri reconhece “carreira excecional, dentro e fora do País” da investigadora e o seu “contributo notável” para desenvolver o mundo científico.
Duarte Faria 12 de Março de 2021 às 08:24
Elvira Fortunato tem 56 anos e é vice-reitora da Universidade Nova de Lisboa
Elvira Fortunato tem 56 anos e é vice-reitora da Universidade Nova de Lisboa FOTO: Sérgio Lemos
Cientista, professora catedrática e vice-reitora da Universidade Nova de Lisboa, Elvira Fortunato é, aos 56 anos, a vencedora do Prémio Pessoa de 2020, anunciou ontem o júri presidido por Francisco Pinto Balsemão.

A investigadora, especialista em Microelectrónica e Optoelectrónica, é distinguida por "uma carreira de excecional projeção, dentro e fora do País", e pelo "contributo notável para o desenvolvimento científico, tecnológico e de inovação português". Para o júri, "ciência e inovação são sinónimos da carreira de Elvira Fortunato", sublinhando o "trabalho pioneiro na área da eletrónica transparente, usando materiais sustentáveis e com processamento completo à temperatura ambiente, e de grande impacto na indústria eletrónica mundial".

Elvira Fortunato mostrou-se "muito contente" com a distinção, num momento particularmente relevante para a ciência devido à Covid-19. À Lusa, deixou ainda as suas ambições para o futuro. "Continuar com os projetos que temos em mãos e agarrar novos desafios."

Entre as principais invenções da cientista está o transístor de papel, que desenvolveu com o marido, Rodrigo Martins, e que foi apresentado ao Mundo em 2008. "A ideia de usar o papel como um ‘material eletrónico’ abriu portas, em 2016, para futuras aplicações em produtos farmacêuticos, embalagens inteligentes ou microchips recicláveis, ou até páginas de jornal ou revistas com imagens em movimento", relembra o júri.

O Prémio Pessoa, no valor de 60 mil euros, reconhece, desde 1987, a atividade de portugueses com papel significativo na vida cultural e científica. Entre os vencedores estão nomes como José Mattoso, Maria João Pires, Herberto Helder (que o recusou), Vasco Graça Moura, João Lobo Antunes, José Cardoso Pires, Eduardo Souto Moura, Sobrinho Simões, Eduardo Lourenço, Richard Zenith, Rui Chafes e Tiago Rodrigues.

PERFIL
Elvira Fortunato nasceu em Almada a 22 de julho de 1964. Licenciou-se em Engenharia dos Materiais na Universidade Nova de Lisboa. Fez o doutoramento nas áreas de Microelectrónica e Optoelectrónica. Diz que não trabalha para prémios mas são inúmeros os que já ganhou, entre eles o Impacto Horizonte 2020, da Comissão Europeia, pela criação do primeiro ecrã transparente com materiais ecossustentáveis.
Ver comentários