Barra Cofina

Correio da Manhã

Cultura
4

Estação do Rossio vira pista de dança

A traça em estilo neo-manuelino da Estação do Rossio (1887) carrega o peso da História. O Coliseu dos Recreios (1890) também encerra memórias do mesmo tempo. Amanhã, o século XIX vai estar ao serviço da música electrónica no ‘Dance Station’, evento do séc. XXI a que Álvaro Covões, promotor, chama de “o acontecimento.” A não perder.
11 de Julho de 2007 às 00:00
Sete mil metros quadrados para circular e dançar ao som de um excelente cartaz de bandas e DJ
Sete mil metros quadrados para circular e dançar ao som de um excelente cartaz de bandas e DJ FOTO: Pedro Catarino
Desde há uma semana, cerca de 500 trabalhadores não têm mãos a medir na montagem do equipamento indispensável a mais de oito horas de música na Estação do Rossio. Nos sete mil metros quadrados disponíveis para a pista de dança gigante da arejada estação alugada à Refer, há que atentar ao fosso entre as plataformas. E o espaço teve de ser ‘desenhado’ a pensar no “bem-estar” das dez mil pessoas esperadas amanhã à noite.
A procura de bilhetes tem sido tal que a promotora do evento, a Everything is New, já alargou o limite de acessos aos dois espaços. São agora três mil (antes eram dois mil) os privilegiados que poderão atravessar a Avenida da Liberdade e dançar também ao som das bandas que irão actuar no Coliseu. Num conjunto apetecível (ver apoios), difícil será escolher de que lado da rua se estará mais tempo. Em cada um dos locais, há um cabeça-de-cartaz imperdível.
No Coliseu, os Air – com o seu último CD ‘Pocket Symphony’ – perfilam-se como o grande atractivo para as quatro mil pessoas esperadas. Do lado de lá da avenida, num ambiente marcadamente industrial, são os Chemical Brothers os responsáveis pela multidão que ali se espera.
“Esperamos 10 mil pessoas na estação mas com muito espaço para usufruir e circular”, garante Álvaro Covões. “É uma oportunidade única. As pessoas ainda nem perceberam bem o que vão ver. Os Chemical Brothers vão trazer um espectáculo multimedia como nunca se viu”.
O ‘Dance Station’ aproveita assim uma coincidência que os amantes da electrónica (ao contrário dos utentes da Linha de Sintra) podem chamar de ‘feliz’. “As obras da estação estão prontas mas tal não acontece com o túnel”, lembra Covões sobre atraso que permitiu a produção deste evento, pontual, e que é, afinal, uma forma original de “trazer mais vida ao centro da cidade.”
HORÁRIOS E PREÇOS
COLISEU
Abertura às 18h00. O bilhete de 30 euros só dá acesso a este espaço onde actuam: !!! (Chk Chk Chk), das 20h00 às 21h30;
Air (21h50-23h20);
Fischerspooner (23h40-01h10);
Space Boys (01h30-03h00) e Digitalism (03h20-04h20).
ESTAÇÃO
Abertura às 19h00. O bilhete de 35 euros só dá acesso à estação onde actuam os DJ:
Jori Hulkkonen (19h00-20h30); Erol Alkan (20h30-22h30);
Tiga (22h30-00h30);
Justin Robertson (00h30-01h20) e The Chemical Brothers (01h30-03h00).
ROSSIO COLISEU
Três mil bilhetes (edição limitada) de 39 euros dão acesso aos dois espaços.
Ver comentários