Barra Cofina

Correio da Manhã

Cultura

Joaquín Cortés condenado a um ano de prisão

O bailarino de flamenco, Joaquín Cortés, foi condenado a um ano de prisão por se ter apropriado de 700 mil euros num negócio com empresários argentinos e será também obrigado a devolver a quantia em causa.
17 de Março de 2010 às 18:34
Joaquín Cortés ficou com a pena suspensa
Joaquín Cortés ficou com a pena suspensa FOTO: João Cortesão

Os factos ocorrem entre Janeiro e Outubro de 1999, quando os intervenientes efectuaram as transferências de dinheiro. O caso só foi denunciado pelos empresários em 2003.

 

O tribunal de Madrid considerou que a irmã e o 'manager' do bailarino são cúmplices no crime de apropriação indevida de várias quantias de dinheiro, que no total perfazem os 700  mil euros.

 

De acordo com o diário espanhol ‘El País’, os empresários argentinos terão ficado deslumbrados com os contactos que o bailarino tinha, nomeadamente Rolling Stones, Madonna, Roberto Verino e Giorgio Armani, e por isso fizeram um contrato com a sociedade Gaviota Morena S.L., cuja administradora é a irmã de Joaquín, para onde transferiram as quantias de dinheiro em causa.

 

De acordo com o tribunal, ao longo dos cinco anos de investigação, os arguidos nunca mostraram disponibilidade para cooperar e muito menos para devolver o dinheiro, mas, dado que Joaquín Cortés não tem antecedentes criminais, vai ficar com a pena suspensa.

Ver comentários