Barra Cofina

Correio da Manhã

Cultura
3

Jovens de bairro da Amadora criam ténis em programa de combate à exclusão social

Projeto permitiu que jovens do bairro do Zambujal criassem de raiz e lançassem os próprios ténis ou sapatilhas.
Lusa 7 de Junho de 2021 às 11:18
Projeto-piloto de um programa social de combate à exclusão social denominado Imagine
Projeto-piloto de um programa social de combate à exclusão social denominado Imagine FOTO: Direitos Reservados/ Facebook
Nove jovens do bairro do Zambujal, na Amadora, aprenderam todos os passos desde a criação à venda dos seus próprios ténis no projeto-piloto de um programa social de combate à exclusão social denominado Imagine.

Em declarações à agência Lusa, João Esteves, CEO (diretor executivo) da marca portuguesa de calçado Diverge Sneakers, explicou que o projeto Imagine "nasceu para contar histórias", dotando os jovens adultos que nele participam, entre os 16 e os 24 anos, de competências desde a costumização até à parte de encomenda.

"Sempre quisemos ter uma intervenção de impacto social. Os 'sneakers' são um produto apetecível para os jovens adultos. Aliás, são um dos produtos que dão mais estatuto aos jovens e em que eles tendem a investir o seu dinheiro", explicou.

O projeto permitiu que os jovens do bairro do Zambujal, no distrito de Lisboa, criassem de raiz e lançassem os seus próprios ténis ou sapatilhas - "conforme a região do país onde nos encontramos", brincou João Esteves - como se fosse um pequeno negócio que os próprios irão gerir, desde a criação à promoção, recebendo na íntegra os lucros das vendas desses produtos.

"Os lucros brutos das vendas das suas criações revertem inteiramente a seu favor", referiu.

O programa consistiu numa formação de 25 horas de sessões de capacitação que abordaram conceitos básicos de comunicação interpessoal, marketing estratégico, publicidade, vendas, design, fotografia, redes sociais e gestão financeira.

"O Imagine pretende dotar os jovens de bairros carenciados de ferramentas que lhes permitam ter igualdade de oportunidades, dando-lhes competências fundamentais para a empregabilidade, ao mesmo tempo que potencia a sua autoconfiança e autoestima", referiu João Esteves.

Os ténis/sapatilhas são fabricados à mão em Portugal e são produzidos apenas por encomenda e à medida do cliente, não havendo 'stocks', o que diminui muito o risco de devoluções, reduzindo dessa forma o desperdício.

"Estamos muito satisfeitos com o resultado, com a adesão destes jovens, com a autenticidade do resultado final. Com o quão bem eles se sentiram. Sentimos que estamos a fazer a diferença e sentimos que estes jovens de facto apreciaram a oportunidade, valorizaram a oportunidade e estão a tirar o melhor partido dela", afirmou o diretor executivo.

Segundo João Esteves, o projeto foi tão bem-sucedido que os irmãos e amigos dos nove jovens participantes já pediram para entrar num novo projeto. Para já, está pensada a sua replicação pelo país.

A marca portuguesa, que vende em mais de 50 países de todos os continentes, compromete-se a redirecionar 10% dos seus lucros para o crescimento do programa.

Amadora João Esteves Zambujal questões sociais economia negócios e finanças jovens media bens de consumo
Ver comentários