Barra Cofina

Correio da Manhã

Cultura
9

Livraria Poetria reabre em novo espaço e Presidente da República irá à inauguração

Rui Moreira convidou e Marcelo Rebelo de Sousa terá respondido que teria "muito gosto" em estar presente.
Lusa 6 de Setembro de 2021 às 22:29
Livraria Poetria
Livraria Poetria FOTO: Direitos Reservados
A livraria Poetria, localizada nas Galerias Lumière do Porto construídas nos anos 70, vai reabrir em novembro num novo espaço do Porto e o Presidente da República foi convidado para a inauguração, avançou esta segunda-feira à Lusa fonte oficial.

"A Poetria vai ter três meses para fazer a mudança para um novo espaço na Rua Sá de Noronha, número 115. Acredito que em novembro já estejamos instalados. É uma ótima notícia", disse esta noite à agência Lusa Francisco Reis, um dos donos da livraria Poetria, adiantando que o Presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa, foi convidado para estar presente na inauguração do novo espaço.

Segundo Francisco Reis, quando o Presidente da República esteve presente na abertura da Feira do Livro do Porto -- 27 de agosto -, foi convidado pelo presidente da Câmara do Porto, Rui Moreira, para vir à inauguração do novo espaço da Poetria, e Marcelo Rebelo de Sousa terá respondido que viria "com muito gosto à inauguração. Nós ficámos um bocado atónitos".

A Poetria recebeu na sexta-feira passada, dia 03 de setembro, uma carta dos senhorios das Galerias Lumière com "ordem de despejo" e com o pedido de "indemnização de mais de oito mil e trezentos euros", revelou à Lusa Francisco Reis.

"Nós consideramos ridículo [o pedido de indemnização]. Isto tem que ser feito ao contrário. A indemnização será para nós e não para eles", declarou Francisco Reis, acrescentando que já enviaram a carta com ordem de despejo ao advogado.

A livraria Poetria que foi classificada como "tendo interesse cultural" e que esta segunda-feira viu ser aprovada pela Câmara do Porto a cedência temporária de um imóvel arrendado por "dois anos de cedência temporária, com possibilidade de renovação por mais dois anos", já tinha sido notificada para abandonar o espaço nas Galerias Lumière até dia 31 de março de 2021, mas os donos recusam sair da loja em tempos de pandemia.

Na altura, Francisco Reis disse à agência Lusa que no atual contexto de pandemia e de estado de emergência seria "impossível a loja sair das Galerias Lumière".

A livraria Poetria voltou a ser notificada para "desocupar" aquele espaço até 23 de abril, mas os donos tornaram a recusar abandonar a loja em tempos de pandemia.

As Galerias Lumière receberem, em maio de 2020, um parecer favorável da Câmara Municipal do Porto ao Pedido de Informação Prévia (PIP) para uma unidade hoteleira, adiantou esta segunda-feira à Lusa fonte da autarquia.

"O PIP já recebeu informação favorável. O projeto foi alterado, dando resposta adequada às questões que tinham sido colocadas anteriormente pela Câmara, mantendo assim uma galeria comercial, de ligação entre os dois arruamentos, ao nível do piso térreo", lê-se numa resposta, por escrito, da Câmara do Porto.

A 14 de maio de 2020, a Direção Regional de Cultura do Norte (DRCN) emitiu parecer favorável condicionado ao PIP para instalação de um hotel nas Galerias Lumière, no Porto, que obteve, em janeiro, uma apreciação desfavorável da autarquia.

As Galerias Lumière foram construídas nos anos 70, com um projeto do arquiteto Magalhães Carneiro.

As Galerias Lumière tiveram o seu apogeu nos anos 80, com duas salas de cinema inauguradas em 1978 e que se chamavam "A" e "L" em homenagem a Auguste e Louis Lumière, os dois irmãos franceses ligados a história do cinema mundial, mas vieram a encerrar em 1997.

Em 2012 e 2013, a empresa proprietária das Galerias, Imocpcis SA, dá início a obras de restauro e de revitalização das lojas e da zona central e em 2014 as Galerias reabrem ao público.

Ver comentários