Barra Cofina

Correio da Manhã

Cultura
6

Morreu o escultor Manuel Sousa Pereira autor da "Homenagem aos Trabalhadores", em Vila do Conde

Artista, de 81 anos, nasceu no Porto, em 1939, cidade onde se licenciou na Escola Superior de Belas Artes, e expôs em Portugal e no estrangeiro.
Lusa 8 de Fevereiro de 2021 às 20:56
Manuel Sousa Pereira tinha 81 anos
Manuel Sousa Pereira tinha 81 anos FOTO: Direitos Reservados
O escultor Manuel Sousa Pereira, de 81 anos, autor da "Homenagem aos Trabalhadores", em Vila do Conde, morreu hoje, anunciou a cooperativa artística Árvore, no Porto, da qual era sócio honorário.

Em comunicado, a cooperativa "lamenta profundamente" a morte do "escultor Manuel Sousa Pereira, [que] ficará para sempre na memória de todos aqueles que tiveram o privilégio de o conhecer", e recorda a presença assídua do artista na sua oficina de cerâmica, onde criou uma das suas derradeiras obras, um presépio para o último Natal.

Também a Câmara Municipal de Vila do Conde, em comunicado, anunciou a morte do escultor, que lamentou, recordando "uma vasta e marcante obra", sobretudo no espaço público, "admirada no país, no estrangeiro e particularmente em Vila do Conde".

"Uma das suas obras mais emblemáticas na nossa cidade é o monumento dedicado aos trabalhadores vilacondenses que contribuíram para a expansão da cidade, inaugurado em 2002. As três figuras, construídas à escala humana, representam um carpinteiro, um trolha e um pedreiro", lê-se no comunicado da autarquia.

A edilidade salienta a carreira docente do escultor, na cidade, recordando que Manuel Sousa Pereira "também é uma referência no ensino vilacondense, tendo lecionado durante muitos anos na Escola Secundária José Régio", a partir de 1977.

A escola guarda, aliás, um retrato escultórico do poeta, de autoria de Sousa Pereira.

Além de Vila do Conde, a obra do escultor é visível noutros municípios, nomeadamente em Cantanhede, S. João da Madeira e em Matosinhos, onde se encontra uma escultura na avenida Afonso Henriques, de homenagem ao ator João Guedes, e em Vila Nova da Cerveira, município para o qual concebeu o memorial em bronze aos heróis do Ultramar, em 2008, que viria a ser roubado, e que o próprio escultor repôs, em 2014, com uma nova obra.

Manuel Sousa Pereira nasceu no Porto, em 1939, cidade onde se licenciou na Escola Superior de Belas Artes, e expôs em Portugal e no estrangeiro.

Em 1993, venceu o Prémio Secil de Escultura (com Amândio Abreu de Sousa), com obras concebidas para Braga.

O artista foi assistente, durante mais de 20 anos, do escultor José Rodrigues, destacando-se, nesta colaboração, a escultura "Lei", que figura na principal sala de audiências do Tribunal de Vila do Conde.

Foi coautor de textos do catálogo "Silêncio no atelier", dedicado a José Rodrigues, publicado em 2018.

A Fundação Escultor José Rodrigues lamentou hoje a morte de Manuel Sousa Pereira: "Estarás sempre na nossa memória e no coração, meu querido amigo (...). Com saudades imensas de todos (...). Um abraço e coragem para os familiares", lê-se na página da instituição no facebook, ilustradas com uma imagem de ateliê, onde se cruzam os dois artistas.

O ator e encenador Júlio Gago, antigo diretor do Teatro Experimental do Porto, sublinhou a "brutalidade destas notícias [que] continuam a chegar": "Morreu o Grande Escultor Manuel de Sousa Pereira".

Júlio Gago recorda as "obras espalhadas um pouco por todo o País, com destaque" para a terra natal do escultor, Vila do Conde, e em particular a homenagem ao ator João Guedes, em Matosinhos, "e aos seus amigos Augusto Gomes e Júlios Gesta".

A Fundação Bienal de Arte de Cerveira também manifestou pesar, na sua página, com a imagem de uma obra do escultor.

Nas redes sociais, antigos alunos e artistas lamentam igualmente a morte de Manuel Sousa Pereira, recordando o seu gesto no desenho, o seu gosto por jazz e pelas viagens de mota.

"Era um ser humano maravilhoso e grande escultor", escreve a artista Isabel Lhano.

"Lá para cima contam com mais um grande Homem, um grande Pedagogo, um grande Escultor, que ninguém por aqui esquecerá", escreveu o pintor e professor de arte António Vieira da Silva.

Manuel Sousa Pereira é o pai do jornalista da agência Lusa Pedro Sousa Pereira.

Ver comentários