Barra Cofina

Correio da Manhã

Cultura
9

Mourão abriu a temporada taurina

Abertura do festival de Mourão não foi um grande espetáculo.
João Aranha 1 de Fevereiro de 2015 às 18:58
Castelo de Mourão
Castelo de Mourão FOTO: D.R.

Cumpriu-se a tradição e a nova temporada taurina abriu com o festival de Mourão a complementar a festa religiosa da Senhora das Candeias. Cartel forte, com Luís Rouxinol e seu filho a cavalo, Forcados Amadores de São Manços nas pegas, matadores espanhóis El Cid e Manolo Escribano e os novilheiros Lama de Gongora e Juanito no toureio a pé, na lide de seis novilhos de Murteira Grave. Apesar da tarde fria, a alindada pracita de Mourão voltou a encher-se já que a afición dos dois lados da raia e a diáspora não faltaram ao chamamento.

Não foi um grande espetáculo, mas o público saiu satisfeito e a tradição assim o manda. Os novilhos do Murteira Grave não ajudaram muito com exceção do segundo e do terceiro. Luís Rouxinol esteve ao seu nível e chegou ao público num toureio fácil e bom entendimento do oponente. O seu filho, o jovem cavaleiro do mesmo nome, mostrou progressos, está bem montado e tirou partido da boa investida do novilho que lhe tocou.

Os forcados de São Mansos não tiveram problemas. No toureio a pé, o matador espanhol El Cid andou muito bem com o capote num novilho que investiu melhor que os irmãos de manada e a faena por ambos os pitons teve embate e profundidade a merecer fortes aplausos. Menos sorte teve o seu colega Manolo Escribano a quem tocou o novilho de pouca força e curta investida. Bandarilhou com facilidade e soltura e a faena foi a possível num touro de escassa força. O novilheiro Lama de Gongora esforçou-se numa faena mais complicada a um novilho de investida incerta, mas conseguiu algum brilho à custa de submeter na muleta.

O festival terminou com a apresentação do jovem português João Silva (Juanito) que mostrou valentia e maneiras num novilho que tinha alguma dificuldade e chegou ao público pelo modo como se comportou na arena. Agostinho Borges dirigiu a corrida Agostinho Borges e, como atrás se disse, a praça esgotou.

No intervalo foi descerrada uma lápide comemorativa da apresentação do falecido cavaleiro José Mestre Batista, numa praça de Mourão.

Festival de mourão temporada taurina touros espetáculo tradição festa religião senhora das candeias
Ver comentários