Barra Cofina

Correio da Manhã

Cultura
2

Músico Guilherme Inês morre aos 70 anos

Baterista passou pelo Quarteto 1111 e pelos Salada de Frutas e trabalhou com José Afonso, Vitorino ou Sérgio Godinho.
Miguel Azevedo 15 de Setembro de 2021 às 08:35
Guilherme Inês
Guilherme Inês FOTO: Direitos Reservados
Começou a tocar nos anos 60, formou os Zoom, integrou a banda dos Chinchilas (liderada por Phil Mendrix), trabalhou com José Cid, José Afonso, Fausto, Vitorino e Sérgio Godinho e fez parte, entre outros, dos Salada de Frutas e do Quarteto 1111. Guilherme Inês, um dos mais veteranos e experientes músicos portugueses, nome grande do rock nacional, morreu ontem, aos 70 anos de idade. Estava a trabalhar atualmente na reedição do álbum ‘Se cá Nevasse’ dos Salada de Frutas, editado originalmente em 1981 e que este ano faz quarenta anos.

Nascido em Lisboa em abril de 1951, Guilherme Inês começou a carreira a tocar guitarra, mas haveria de a trocar pela bateria quando formou os Zoom com quem viria a gravar um álbum em 1969.

Depois de ter passado por vários projetos nos anos 70, lançou, juntamente com José da Ponte (fundador dos Salada de Frutas) os estúdios Namouche, em Lisboa, onde produziu temas e álbuns de vários artistas, como Dora ou Dulce Pontes (produziu o álbum ‘Lágrimas’). Foi coautor, por exemplo, do tema ‘Não sejas mau pra mim’, com o qual Dora representou Portugal no Festival Eurovisão da Canção em 1986. Trabalhava também em publicidade, nomeadamente na produção de jingles.

Dizia que o seu background tinha duas vertentes “a música popular portuguesa e o rock, com letra maiúscula” e que a música de dança era coisa que não lhe interessava.

Ver comentários