Barra Cofina

Correio da Manhã

Cultura
7

PETER JACKSON É O SENHOR DOS MILHÕES

O realizador neozelandês Peter Jackson, responsável pela trilogia “O Senhor dos Anéis”, fechou um contrato milionário para assinar a próxima versão do filme “King Kong”.
17 de Agosto de 2003 às 00:00
O cineasta neozelandês entrou na lista dos mais bem pagos
O cineasta neozelandês entrou na lista dos mais bem pagos FOTO: d.r.
O cineasta vai receber qualquer coisa como 17,7 milhões de euros (20 milhões de dólares) para produzir, realizar e escrever o argumento da película. Em contrapartida, porém, abdica da habitual percentagem sobre os lucros de bilheteira.
Um “cachet” fixo destas proporções raramente é atribuído a realizadores, mesmo tratando-se de estrelas como Steven Spielberg ou Robert Zemeckis, que geralmente cobram verbas mais baixas, mas exigem percentagens elevadas sobre os lucros.
Com “King Kong”, o realizador neozelandês passa a figurar na lista das estrelas mais bem pagas de Hollywood, com valores muito próximo dos auferidos apenas por actores, casos de Tom Cruise ou Mel Gibson.
SONHO DE INFÂNCIA
“King Kong” é um dos filmes favoritos de Peter Jackson desde criança. O cineasta, de resto, desde 1997 que tem vindo a desenvolver várias ideias relacionadas com o projecto.
As filmagens deverão arrancar em breve na Nova Zelândia e Peter Jackson irá incluir na equipa alguns dos seus colaboradores habituais, concretamente Fran Walsh e Philippa Boyens, que co-escreveram o argumento para “O Senhor dos Anéis”.
A pós-produção ficará a cargo da Weta Digital Ltd. (de que Jackson possui um terço) que, em 2002, arrecadou o Óscar para melhores efeitos especiais, precisamente com “A Irmandade do Anel”, o primeiro episódio da trilogia.
A estreia do novo “King Kong” está agendada para Dezembro de 2005 e será o terceiro consagrado ao “monstro”. A versão original (1933) foi dirigida por Merian C. Coper e Ernest Shoedsack. O primeiro “remake” data de 1976, foi realizado por John Guillermine lançou a actriz Jessica Lange.
Ver comentários