Barra Cofina

Correio da Manhã

Cultura
2

Polémica sexual ensombra final da Eurovisão

Escândalo foi denunciado por um jornal italiano, que fala em abusos a várias assistentes.
Miguel Azevedo 14 de Maio de 2022 às 10:18
Maro vai ser a terceira artista a subir ao palco na grande final, mas a cotação de Portugal tem descido nos últimos dias
Maro vai ser a terceira artista a subir ao palco na grande final, mas a cotação de Portugal tem descido nos últimos dias
É debaixo de polémica, espoletada por denúncias de assédio sexual feitas por várias assistentes voluntárias, que tem lugar esta noite, em Turim, Itália, a grande final da Eurovisão. A organização já negou as acusações, mas as associações feministas italianas já estão a exigir um inquérito policial. A polémica foi revelada pelo jornal italiano ‘Corriere Della Sera’, que avançou com as queixas de várias voluntárias que participaram numa festa de promoção do evento onde estiveram artistas, dançarinos e convidados VIP de dezenas de países. As mulheres referiram-se mesmo à noite como "aterrorizadora" e denunciaram episódios de abusos. "Estava com outra rapariga e um grupo de dançarinos estrangeiros começou a olhar para nós. Começaram a dançar e fomos apalpadas", contou uma das vítimas.

Mas esta não é a única polémica recente a envolver a final deste ano do festival. Segundo o jornal ‘La Voz de Galicia’ noticiou esta semana, a Eurovisão terá, por exemplo, ‘censurado’ letras e atuações de vários participantes, incluindo a Ucrânia, cuja canção se tornou num dos símbolos de resistência da guerra e é apontada como uma das favoritas à vitória - lidera todas as apostas online.

Na final, que conta com 25 países (ver lista ao lado), já se sabe que a portuguesa Maro, com o tema ‘Saudade, saudade’ será a terceira a subir ao palco, a seguir à República Checa e Roménia. Mas a cotação de Portugal já teve melhores dias. Se antes das semifinais andou perto do top 10, nos últimos dias caiu para a 17ª posição (menos de 1% de hipótese). A canção foi apurada na primeira semifinal, que decorreu na terça-feira e marcou a noite por ter sido a atuação mais intimista, de luzes apagadas e telemóveis acessos na sala (ver mais na revista ‘Vidas’).
Eurovisão polémica escândalo sexual
}